PUBLICIDADE
Logo do

Santos

Meu time

Marinho revela cirurgia e lamenta não ter sido vendido pelo Santos: "Vi todos saindo e eu não saio também?"

7 set 2021 20h59
| atualizado às 20h59
ver comentários
Publicidade

Marinho ainda não voltou a jogar pelo Santos, mas foi assunto nesta terça-feira por causa de aparições nas redes sociais.

O Peixe, por meio do departamento de comunicação, informou à imprensa que o camisa 11 treinou normalmente nesta terça após se recuperar de lesão muscular e um hematoma na coxa esquerda. E o atacante foi ao Instagram para dizer que fez apenas uma parte do trabalho. Na sequência, o Alvinegro expôs que o atleta atuou sem limitações na atividade.

Em live com Ademir Quintino, Marinho falou que o Santos não deu o respaldo suficiente, afirmou que o caso teve erro médico e revelou uma cirurgia na perna esquerda, com cinco pontos. O Peixe não havia dado qualquer informação sobre cirurgia.

"Cinco pontos na minha perna, terei que reformar a tatuagem. Abriram minha perna. Quando me perguntam na rua, eu tiro o curativo e mostro. Fui muito xingado nesse período, falaram que era migué", disse Marinho.

"Sim, claro (foi um erro médico). E não me respaldaram, disseram que eu voltaria em 15 dias. Hoje voltei a treinar com o grupo, fiz uma parte do trabalho e tenho um ponto que não fechou ainda. Não tenho condição de jogar 90 minutos (contra o Bahia). A princípio, faço trabalho de passe, alguns trabalhos pra chutar. Daqui a pouco vou estar de boa", completou.

Propostas

Marinho aproveitou a ocasião para contestar o presidente Andres Rueda. Com contrato até dezembro de 2022, ele não foi procurado para renovar e teve propostas recusadas recentemente, como de Atlético-MG e Palmeiras.

O camisa 11 praticamente pediu para ser negociado em dezembro.

"Eu perguntei sobre isso, mas falaram que não tem condição de aumento ou plano de carreira. Não falaram nada e eu disse para pensarem se chegar algo de fora. 'Me deixa respirar'. Sempre pedi um time que brigasse por título. Soteldo, Luan Peres, Veríssimo, Alison, Pituca… Vi todos saindo e eu não saio também? Mas agora a situação não está boa, então vou continuar. Cheguei pela porta da frente, na primeira divisão, e vou sair com o Santos na primeira divisão. Estou fechado até o fim do campeonato. E que o presidente pense a respeito disso. Não quero sair de graça, pela porta da frente, e respirar. Eu preciso. Eu continuo no Santos, até porque o presidente recusou todas as propostas. Falei para o presidente que estou feliz, mas tenho 31 anos e se for bom para o Santos… Hoje eu não posso falar que vou aposentar no Santos. Falei para o presidente que depois do Campeonato Brasileiro (2020) eu gostaria de almejar coisas para a minha vida deixando a porta aberta. E hoje vejo um clima chato, como se eu tivesse feito muita m… aqui", avaliou.

"Se me bloquearem de novo, eu fico, mas nunca briguei. Continuei trabalhando. Certo (Palmeiras e Atlético-MG). Mas foram recusadas. Meu contrato é até o fim do ano que vem. Santos precisa continuar na primeira divisão e eu respirar. Faltou o titulo para mim. Se as propostas foram recusadas, é porque presidente não viu que era momento de sair. Vou me dedicar até o último dia. E vamos ver sobre ano que vem. Se vier alguma situação, espero que o presidente pense também. Recebi proposta para ganhar muito dinheiro. Poderia colocar o clube na Justiça e não coloquei. Não é do meu caráter, eu respeito o clube. Não fiz e nem farei. Mas ficamos cinco meses sem receber. Nunca vou expor a instituição porque isso é chato. Eu não exponho o Santos aqui, mas sim uma situação. Eu precisava ter respaldo e não tive", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade