PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Favoritar Time

Sondagem árabe, mercado europeu e a vontade do Palmeiras: entenda a situação de Abel Ferreira

Com contrato até dezembro de 2022, o treinador tem uma série de fatores a avaliar antes de definir futuro

29 nov 2021 11h17
| atualizado às 11h17
ver comentários
Publicidade

Minutos depois de conquistas sua segunda Libertadores como treinador da Sociedade Esportiva Palmeiras, Abel Ferreira concedeu entrevista coletiva e, emocionado, falou sobre seu estado físico e mental, muito exigidos pela sequência insana do futebol brasileiro. Ele deixou em aberto o seu futuro:

Foto: EITAN ABRAMOVICH / AFP
Foto: EITAN ABRAMOVICH / AFP
Foto: Lance!

- Eu tenho que fazer uma reflexão muito grande. O clube já demonstrou a sua vontade. Sou grato ao Maurício e à Leila. Mas não consigo jogar em jogo, descanso e jogo. É desumano. Se quiserem crescer, precisamos abdicar da ida e volta. Isso tudo no tempo de Deus. Vou escolher o que for melhor para o Palmeiras - afirmou

Fato é que, ainda que o cansaço seja o obstáculo número para Abel, nesse momento, o treinador já tem uma bela quantidade de sondagens e ofertas. A principal delas vem do Al-Nassr, da Arábia Saudita, como informou em primeira mão a imprensa saudita, no final da ultima semana. O clube já sinalizou com um contrato de dois anos e meio a Abel por 20 milhões de euros (R$ 127 milhões), algo com R$ 5 milhões de reais por mês.

Apesar dos valores completamente irreais, Abel dificilmente troque o futebol brasileiro por um cenário diferente que não seja um time de grande porte na Europa. Isso é o que acredita o estafe do treinador, que afirma sentir de Abel um gosto muito grande pelo Palmeiras e entender que sua carreira só evoluirá em caso de comandar um time das principais ligas do mundo.

Abel já recusou outras ofertas ao longo de sua passagem pelo Palmeiras, e foram várias. O estafe ainda lembra que a procura deve crescer ostensivamente ao final da temporada brasileira, mas soa mais agradável ao treinador começar um possível projeto europeu na intertemporada, que ocorre no meio do ano. O português deve levar em conta a disputa do Mundial de Clubes antes de tomar sua decisão.

A saudade da família é um fator preponderante, afinal Abel vive sozinho na capital paulista. Mesmo com as visitas da esposa e filhas, o treinador é muito apegado às três e sente falta do convívio diário. O Palmeiras deve oferecer a ele a estrutura devida para que elas possam morar no Brasil, caso ele opte por uma renovação ou cumprimento do atual vínculo, que vence em dezembro de 2022.

Lance!
Publicidade
Publicidade