0

Guerra e Jean treinam separados do elenco e aguardam definição no Palmeiras

Jogadores experientes e no último ano de contrato têm destino incerto e aguardam propostas

11 fev 2020
14h40
atualizado às 14h40
  • separator
  • 0
  • comentários

Enquanto o Palmeiras apresenta o reforço Matías Viña, sonda outros reforços e está envolvido com a disputa do Campeonato Paulista, dois jogadores vinculados ao clube e com currículo vitorioso aguardam o desfecho do impasse para saber se serão negociados ou vão ganhar chance no time. O volante Jean, de 33 anos, e o meia Alejandro Guerra, de 34, treinam todos os dias na Academia de Futebol separados dos demais companheiros e à espera de definição.

Os dois não devem ser utilizados pelo técnico Vanderlei Luxemburgo nesta temporada e têm outra condição em comum: ambos só têm contrato válido até o fim deste ano. O Palmeiras optou no ano passado por esticar o vínculo dos dois por mais uma temporada. Agora, a diretoria conversa com possíveis interessados para fechar contratos de empréstimo.

Guerra e Jean se apresentaram ao Palmeiras para a pré-temporada, em janeiro. Logo no começo do ano os dois foram avisados pelo clube de que não seriam incluídos na viagem para a Florida Cup, nos Estados Unidos Unidos. Os jogadores permaneceram no Brasil e desde então trabalham diariamente na Academia de Futebol geralmente em turno contrário aos demais colegas.

O venezuelano Guerra chegou a receber sondagem do Coritiba no fim de 2019, mas não houve acordo. O último jogo do meia pelo Palmeiras foi em dezembro de 2018, quando entrou nos minutos finais da última partida da temporada, contra o Vitória. No ano passado o jogador passou seis meses sem ser utilizado pelo clube alviverde e no segundo semestre foi emprestado ao Bahia, onde atuou 18 vezes e marcou um gol.

Campeão da Copa Libertadores de 2016 pelo Atlético Nacional, Guerra chegou ao Palmeiras no início de 2017. O clube contou com um aporte da Crefisa no valor de R$ 11 milhões para efetuar a compra. O valor precisa ser devolvido à empresa com correção fixada pela CDI. O prazo para quitar a dívida é de até dois anos após a saída do atleta do clube.

Portanto, a negociação ideal para o Palmeiras seria conseguir vender Guerra para pelo menos diminuir o prejuízo. O problema, porém, são os altos valores. O venezuelano recebe cerca de R$ 250 mil mensais. Como a partir de julho o meia ficará a menos de seis meses do fim do vínculo e com a possibilidade de assinar um pré-contrato grátis, é pouco provável que a diretoria consiga fechar uma venda por um valor alto.

LESÕES

O volante Jean chegou ao Palmeiras no início de 2016 e sofreu nas últimas temporadas com lesões. Desde 2017 o jogador reclamava de dores no joelho direito, até que no início do ano seguinte o clube decidiu por realizar uma cirurgia. Mesmo assim, depois do procedimento para reparação da cartilagem ele teve pouca sequência na equipe, ao atuar em 23 jogos em 2018 e e mais 11 vezes em 2019.

Jean conquistou o Campeonato Brasileiro duas vezes pelo Palmeiras (2016 e 2018), uma vez pelo Fluminense (2012) e outra pelo São Paulo (2008). No começo do ano passado a diretoria decidiu esticar o contrato dele por mais um ano.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade