PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Favoritar Time

Federação Paulista suspende jogo de São Bento e Palmeiras

Previsto para ser disputado em Belo Horizonte, partida está desmarcada por causa do veto do governo mineiro de receber times de outros Estados

16 mar 2021 13h58
| atualizado às 14h20
ver comentários
Publicidade

A Federação Paulista de Futebol (FPF) suspendeu nesta terça-feira o jogo que estava marcado para quarta à noite entre São Bento e Palmeiras, pelo Campeonato Paulista. A partida seria realizada em Belo Horizonte porque o Estado de São Paulo está em fase emergencial para conter os casos da covid-19. No entanto, por causa de uma decisão do governo de Minas Gerais a partida não poderá ser realizada.

 (Foto: Divulgação/Palmeiras)
(Foto: Divulgação/Palmeiras)
Foto: Gazeta Esportiva

O principal empecilho para a partida foi a decisão do governo mineiro de decretar a partir de quarta-feira a Onda Roxa, fase mais restrita de combate à pandemia. Nessa nova etapa, estão proibidos jogos de futebol de equipes de outros estados em Minas Gerais. A decisão passa a valer a partir de quarta-feira e atinge também partidas da Copa do Brasil marcadas para esta semana: Marília x Criciúma, na quarta, em Varginha, e Palmas x Avaí, em Belo Horizonte.

A FPF vai se reunir com os clubes à tarde para definir o futuro do Campeonato Paulista. Na noite desta segunda, o Ministério Público (MP) recusou a proposta de abrir uma exceção e permitir que o torneio continuasse normalmente dos dias 15 a 30 de março em São Paulo, período que compreende a fase emergencial. A entidade defende que vai manter o calendário normal, mesmo que precise transferir os jogos para outros Estados.

A primeira opção foi o Rio de Janeiro, mas a alternativa foi recusada pelo governo estadual. Depois, a FPF conseguiu marcar São Bento e Palmeiras para Belo Horizonte. O jogo seria no estádio Independência. Nesta terça os clubes treinaram pela manhã e estavam com as passagens aéreas marcadas para embarcarem no fim da tarde para a capital mineira. Agora, todos vão esperar novas orientações da FPF sobre o futuro do calendário.

Estadão
Publicidade
Publicidade