PUBLICIDADE

Viñales é a melhor alternativa para Aprilia na temporada 2022 da MotoGP?

Depois de meses tentando convencer Andrea Dovizioso a guiar a RS-GP, a casa de Noale tem o agora futuro ex-Yamaha ao alcance das mãos. Mas essa, afinal, é uma boa escolha?

29 jun 2021 05h02
ver comentários
Publicidade
Se confirmada transferência, Maverick Viñales será o mais laureado entre os pilotos que já passaram pela Aprilia nesta retomada na MotoGP
Se confirmada transferência, Maverick Viñales será o mais laureado entre os pilotos que já passaram pela Aprilia nesta retomada na MotoGP
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Depois de meses tentando convencer Andrea Dovizioso a guiar a RS-GP na temporada 2022 da MotoGP, a Aprilia agora tem Maverick Viñales ao alcance das mãos. O time comandado por Massimo Rivola segue em busca de um companheiro de equipe para Aleix Espargaró depois de tapar o buraco deixado por Andrea Iannone com Lorenzo Savadori.

Por enquanto, nada foi oficializado, exceto a saída de Viñales da Yamaha no final do ano. Depois de um fim de semana de muitas especulações, a casa de Iwata confirmou na segunda-feira (28) o acordo mútuo que vai permitir a saída do espanhol no fim deste ano, portanto, na metade do contrato em vigor.

ANÁLISE

Maverick Viñales vai deixar a Yamaha no fim de 2021
Maverick Viñales vai deixar a Yamaha no fim de 2021
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

No entanto, de acordo com a publicação inglesa The Race, Viñales já assinou com a Aprilia para reeditar a parceria com Aleix, com quem trabalhou por dois anos na Suzuki.

Depois de todos os nãos que recebeu em 2021, é interessante que a Aprilia consiga atrair o interesse de alguém como Viñales. Ainda que a saída da Yamaha seja em meio a tumulto e falta de performance, o espanhol é um piloto comprovado, dono de nove vitórias, 28 pódios e 13 poles na classe rainha do Mundial de Motovelocidade. Ou seja, o mais laureado entre todos os pilotos que já passaram pela casa de Noale desde o retorno à MotoGP, em 2015.

Viñales se perdeu na Yamaha. Isso é fato. Mas se a saída do time dos diapasões e a mudança de ambiente foi capaz de devolver a alegria ao piloto de 26 anos, então, sim, Maverick pode ser uma peça fundamental na evolução do protótipo italiano.

A Aprilia tardou em fazer um grande avanço na classe principal do Mundial, mas 2021 mostra que a RS-GP deu um passo considerável, especialmente nas mãos de Aleix Espargaró. Nas nove corridas disputas na primeira metade do campeonato deste ano, o catalão esteve no top-10 em todas as sete corridas que completou e, mais do que isso, fez top-7 em cinco ocasiões. Até agora, Aleix tem 61 pontos, 19 a mais do que acumulou nas 14 etapas do ano passado, e está muito perto de superar a maior pontuação dele com a casa de Noale ― 62 pontos em 2017 e 63 em 2019.

Já faz algum tempo que Aleix pede por um companheiro forte. Até aqui, o catalão de Granollers não encontrou uma dupla que pudesse ameaçá-lo e pressioná-lo. Além das vantagens que isso traria em termos de resultados, o mais velho dos Espargaró precisa de um parceiro para ajudá-lo a trabalhar na moto, para guiar os engenheiros no desenvolvimento. Aleix precisa de alguém com velocidade e experiência, duas coisas que não faltam a Viñales.

Os dois, por sinal, fizerem juntos um trabalho eficaz na Suzuki e contam uma boa relação. Aleix afirmou até que, depois de Pol (por razões óbvias), Maverick é o que ele tem de mais próximo de um irmão no paddock.

É verdade que a fase não é das melhores. Mas Maverick tem talento, velocidade e capacidade de não só trabalhar lado a lado com Aleix, mas também de pressioná-lo a ser melhor. A Aprilia só tem a ganhar com uma parceria como estas.

A MotoGP está de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

ASSISTA TAMBÉM

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade