0

Quartararo mostra ansiedade para Valência após "sofrer todos os dias" em Aragão

O francês admitiu não saber o que aconteceu para justificar o baixo rendimento na rodada dupla no MotorLand, onde perdeu terreno na briga pelo título de 2020

26 out 2020
10h20
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Fabio Quartararo está com 14 pontos de desvantagem para Joan Mir
Fabio Quartararo está com 14 pontos de desvantagem para Joan Mir
Foto: SRT / Grande Prêmio

Fabio Quartararo disse esperar com ansiedade a rodada dupla de Valência da MotoGP. O francês apontou como as corridas em Aragão foram complicadas em termos de desempenho e admitiu não entender o motivo das dificuldades enfrentadas.

No GP de Teruel do final de semana, o competidor da SRT Yamaha cruzou a linha de chegada apenas na oitava colocação, perdendo terreno para o líder Joan Mir. Agora, o espanhol tem 14 pontos de vantagem na primeira posição da classificação.

Na primeira prova realizada no MotorLand, o desempenho de 'El Diablo' foi ainda mais discreto, pois recebeu a bandeira quadriculada em 18º, ficando fora da zona de pontos. Portanto, o fim da passagem pela pista do nordeste da Espanha foi comemorado.

Fabio Quartararo espera desempenho em Valência
Fabio Quartararo espera desempenho em Valência
Foto: SRT / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

"Não foi fácil e estou contente por deixar este circuito. Foram duas semanas em que sofremos todos os dias e agora vou me focar em Valência. Tenho certeza de que é um circuito melhor para nós, tem menor consumo de pneus e acredito que serei mais rápido e consistente", afirmou o atual vice-líder.

Falando sobre o GP de Teruel, afirmou que "desta vez, os pneus não foram um problema, pois foram bem. Franco fez uma corrida fantástica, foi consistente e venceu. Nós, não. É muito difícil de entender. Eu acelerava e perdia a aderência por completo. Parece que nos perdemos", pontuou.

"Na parte da manhã estava feliz sobre o trabalho feito, mas assim que a corrida largou, na primeira volta já não tinha nenhuma sensação, nenhuma aderência, nenhuma tração. Foi muito, muito estranho. Não tenho ideia do motivo de ter acontecido, mas é muito estranho", observou.

"Parece que nas corridas duplas, os demais melhoram muito e nós ficamos encalhados. Depois dos primeiros treinos, a moto já não dá mais de si", concluiu.

Veja também:

Lembre os jogos que o São Paulo está sem perder no Brasileirão
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade