1 evento ao vivo

Campeão mundial de boxe é suspenso por sugerir violência doméstica na quarentena

Billy Joe Saunders publica vídeo em que orienta a forma correta de bater em pessoas devido ao estresse causado pela covid-19

30 mar 2020
19h59
atualizado em 1/4/2020 às 12h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O boxeador britânico Billy Joe Saunders teve sua licença para lutar suspensa nesta segunda-feira depois de publicar um vídeo nas redes sociais no qual parecia sugerir o uso da violência doméstica pelos homens contra suas parceiras em meio ao surto de coronavírus.

O campeão dos super médios da Organização Mundial de Boxe se filmou malhando com um saco de boxe e oferecendo conselhos aos homens sobre como acertar as mulheres caso elas os perturbem durante o período de isolamento social. "Se sua velha mulher está lhe enchendo o saco e você tenta ser paciente, você tenta ficar calmo, mas depois do sexto dia você está prestes a explodir...", afirmou.

O Conselho Britânico de Controle de Boxe disse que está investigando os comentários de Saunders e que, enquanto isso, decidiu suspender sua licença por má conduta. A entidade ainda explicou que uma audiência será realizada "em um momento e local para ser confirmada (a suspensão) o mais rápido possível."

Saunders, invicto em 29 lutas, estava perto de acertar a realização de um combate contra Saul "Canelo" Alvarez em Las Vegas antes do início da pandemia. Ele ganhou 14 delas por nocaute, sendo a última em novembro, diante do argentino Marcelo Esteban Coceres.

O britânico pediu desculpas por seus comentários. Saunders afirmou ainda que fará uma doação de 25 mil libras (aproximadamente R$ 161 mil) a uma organização que luta contra a violência doméstica.

"Foi um erro bobo, mas eu não quis causar mal a ninguém e eu certamente não promoveria a violência doméstica", disse. "Há pessoas morrendo em todo o mundo com coronavírus e eu estava apenas tentando fazer uma piada", acrescentou. "Claramente não funcionou. Meu senso de humor não é para todos", concluiu.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade