PUBLICIDADE

Vasco reencontra Botafogo na decisão da Taça Rio e entra na reta final de preparação para a estreia na Série B

Restam três semanas para o início da competição mais importante da temporada e clássicos serão importantes para corrigir os erros e visar o equilíbrio da equipe

10 mai 2021 08h34
| atualizado às 14h06
ver comentários
Publicidade
Vasco terá a final da Taça Rio contra o Botafogo antes da estreia diante do Operário-PR (Rafael Ribeiro/Vasco)
Vasco terá a final da Taça Rio contra o Botafogo antes da estreia diante do Operário-PR (Rafael Ribeiro/Vasco)
Foto: Lance!

Com o novo regulamento, a Taça Rio se transformou em um prêmio de consolação a ser disputado do 5º ao 8º colocados no sistema mata-mata. Sendo assim, Vasco e Botafogo venceram seus respectivos jogos e terão dois duelos pela frente. Mas qual a importância dos confrontos para o futuro do Cruz-Matlino na temporada? Como tirar proveito financeiro e esportivo de um torneio desprestigiado?

Antes de mais nada, o torcedor deve lembrar que em virtude da pandemia o calendário do futebol brasileiro está ainda mais apertado. No meio disso tudo, o clube amargou o quarto rebaixamento de sua história e uma queda brusca na receita. E a nova diretoria teve que fazer cortes e formar um grupo novo visando a disputa da Série B.

No Carioca, Marcelo Cabo usou os jogos como um laboratório para montar uma espinha dorsal e chegar mais forte no Brasileiro. O técnico segue implantando um estilo jogo, que é o oposto dos treinadores anteriores. E o que se vê é uma evolução, mas ainda embrionária por causa dos poucos jogos. Triangulações, estilo 'apoiado', repertório ofensivo e uma proposta de jogo assimilada pelo grupo dão a tônica deste início de temporada.

Por outro lado, o bom desempenho ofensivo não é refletivo na defesa. Como já foi mencionado pelo comandante, o time tomou gol em todos os jogos e sofre com a bola aérea, mas tem trabalhado para corrigir. No sábado, o Madureira só chegou uma vez com perigo e conseguiu marcar o que chama muita atenção.

- Se fizermos um gol e tomarmos quatro, se tomarmos um gol e fizermos três, é porque nosso time tem o DNA ofensivo. É claro que temos trabalhado bastante. Treinamos muito no dia a dia. Mas também tem a eficiência do outro lado, como foi o gol do Madureira. Não podemos tirar o mérito do gol do Madureira. Agora, se analisarmos o todo, a zaga se ouve muito bem. Foi uma única finalização do Madureira, então o sistema defensivo do Vasco funcionou muito bem. Claro que vamos buscar sempre a excelência. Mas é um desafio - disse Marcelo Cabo.

Vasco e Botafogo empataram por 1 a 1 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Vasco e Botafogo empataram por 1 a 1 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

Vasco é finalista pela 19ª vez da Taça Rio

A partir de agora serão três 'semanas cheias' para treinamentos. Antes da estreia contra o Operário-PR no último final de semana do mês, os duelos contra o Botafogo já estão marcados. O primeiro jogo será no domingo, dia 16, às 11h05, no Nilton Santos. A partida de volta acontecerá no sábado, dia 22/05, às 15h, em São Januário.

Na história do torneio, que já teve muita importância, e levava à final do Carioca, o Gigante da Colina é o maior vencedor com 10 títulos e 8 vices. Em sua 19ª final, o foco é outro e o Estadual não tem mais o charme de antes. Todavia, o vencedor irá receber R$ 1 milhão e os jogos colocarão frente a frente rivais, que se encontrarão em uma das segundonas mais disputadas dos últimos anos (com 5 vencedores da Série A: Cruzeiro, Vasco, Botafogo, Guarani e Coritiba).

Confira o desempenho do Vasco na história da Taça Rio

1984 - Campeão

1987 - Vice

1988 - Campeão

1989 - Vice

1992 - Campeão

1993 - Campeão

1996 - Vice

1998 - Campeão

1999 - Campeão

2000 - Vice

2001 - Campeão

2002 - Vice

2003 - Campeão

2004 - Campeão

2011 - Vice

2012 - Vice

2017 - Campeão

2019 - Vice

Lance!
Publicidade
Publicidade