1 evento ao vivo

"Tudo o que o Flamengo gasta é metade do Neymar", diz Landim

Presidente do clube carioca falou sobre a possibilidade de contratar o atacante

8 abr 2020
07h34
atualizado às 08h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O nome de Neymar já foi ligado ao Flamengo mais de uma vez. O próprio atacante, ex-Santos e Barcelona (ESP) e atualmente no Paris Saint-Germain (FRA), já falou publicamente do interesse em atuar pelo clube da Gávea. Hoje, contudo, os valores são inviáveis para a realidade do Rubro-Negro. Foi o que explicou o presidente Rodolfo Landim em entrevista para a plataforma Genial Investimentos, ao lado do Claudio Pracownik, ex-VP de finanças do Flamengo.

Neymar em ação no PSG: o craque já falou sobre o desejo de atuar no Flamengo (Foto: TOBIAS SCHWARZ / AFP)
Neymar em ação no PSG: o craque já falou sobre o desejo de atuar no Flamengo (Foto: TOBIAS SCHWARZ / AFP)
Foto: LANCE!

"As cifras são loucas. Ele me perguntam: "Presidente, esse negócio aí do Neymar?". Ano passado tinha muito disso porque o Neymar brincou muito comigo, quando fui chefe de delegação da seleção. Mas as pessoas não têm noção do que é o Neymar. Ele ganha 38 milhões de euros de salário por ano. Se botar os custos sociais, imagino que as regras na França sejam parecidas com a da Espanha, com uns cento e poucos por cento em cima (do salário base): o custo dele seria 80 milhões de euros para o Barcelona, por exemplo. Multiplicando por seis (cotação do euro frente ao real), algo em torno de R$ 480 milhões por ano. O Flamengo, pagando tudo em 2019, foi para R$ 230 milhões (gastos com salários). Tudo o que o Flamengo gasta é metade do Neymar", explicou

Durante a live, o presidente do Flamengo falou sobre a importância da valorização do "produto futebol brasileiro" para que o clube venha a ter capacidade de disputar com os gigantes europeus, como Real Madrid, no futuro. Landim comentou sobre a negociação dos direitos de transmissão e, neste contexto, citou que "é preciso conquistar espaço no mercado mundial".

Veja também:

Pelé é superestimado? Editor do L! avalia polêmica criada por site inglês
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade