PUBLICIDADE

Agora recordista, Marta cita mulheres e "luta por igualdade"

Nesta terça-feira, camisa 10 marca o único gol da vitória brasileira por 1 a 0, sobre a Itália; Brasileira ultrapassa Miroslav Klose e torna-se a maior artilheira da história das Copas

18 jun 2019 18h32
| atualizado às 18h50
ver comentários
Publicidade
Philippe HUGUEN / AFP
Philippe HUGUEN / AFP
Foto: LANCE!

Qual a importância de um gol? O marcado por Marta, nesta terça-feira, teve um duplo significado. De batom e tudo, a camisa 10 ultrapassou o alemão Miroslav Klose e tornou-se a maior artilheira da história das Copas do Mundo, entre homens e mulheres, com 17 gols. Além disso, o pênalti convertido pela meia-atacante colocou o Brasil nas oitavas de final do Mundial feminino.

"Muito feliz, pela vitória principalmente. Quebrar recordes é algo que acontece naturalmente quando você se dedica, faz o trabalho com amor. Eu dedico isso às mulheres. A gente representa todas elas e faz nosso melhor sempre. Agora, não tem como escolher adversário. Vão ser duas pedreiras, mas nós somos Brasil, e temos que estar preparadas para tudo", disse a jogadora, já pensando em França e Alemanha, possíveis adversárias na próxima fase.

"Não podemos escolher adversário, temos que estar preparadas para qualquer equipe. Tenho certeza que vamos estar", disse.

A atleta de 33 anos, que disputa o Mundial com uma chuteira que leva um símbolo da luta pela igualdade de gênero, explicou a comemoração no Stade du Hainaut, em Valenciennes, e voltou à homenagear as mulheres após a classificação.

"Foi para os primos da Thaísa, que estão grávidos. E continuamos nossa luta pela igualdade, então foi para todas as mulheres também", finalizou.

Lance!
Publicidade
Publicidade