3 eventos ao vivo

Mano lamenta gol sofrido no início, mas não joga a toalha no Brasileirão

Com o empate na Arena da Baixada, Palmeiras fica a dez pontos do Flamengo, mas treinador afirma que equipe alviverde mantém motivação para disputar o título

20 out 2019
21h56
atualizado às 22h26
  • separator
  • 0
  • comentários

Após o empate com o Athletico-PR na Arena da Baixada, a diferença para o líder Flamengo aumentou para dez pontos e restam apenas 11 rodadas para reverter a desvantagem. Apesar disso, o treinador fez questão de dizer na entrevista coletiva que o Verdão ainda está vivo na disputa.

(Foto: Gil Guzzo/O Fotográfico)
(Foto: Gil Guzzo/O Fotográfico)
Foto: Lance!

- O campeonato estará decidido quando matematicamente estiver decidido. Estamos fazendo nossa parte do lado de cá, somos o segundo colocado, consequentemente, a equipe que aspira com mais possibilidades encostar num adversário que tem feito uma campanha extraordinária.

Questionado sobre o desafio de manter a motivação da equipe para a reta final do Brasileirão, Mano garantiu que o Palmeiras vai tentar corrigir os erros lutar até o final.

- A questão não é manter a motivação. Isso nós temos a obrigação de ter, não vamos ter problema quanto a isso até o final do campeonato. A questão é saber separar o campeonato, a distância, a pontuação daquilo que estamos fazendo. Estamos perdendo o campeonato até agora nos empates. Temos o mesmo número de derrotas, três, mas deixamos pontos por aí. O Flamengo saiu na semana passada com um jogo em que sofreu mais do que nós aqui, mas venceu. Está aproveitando melhor as oportunidades, isso é mérito. Temos que saber o que estamos fazendo bem e melhorar o que for possível. É importante ter um poder de decisão grande, é assim que se decide jogos difíceis como o de hoje.A missão não era simples. Vencer o Athletico fora de casa não é para qualquer time e o adversário entregou o nível de dificuldade esperado. Apesar do empate, Mano gostou da atuação da equipe alviverde, mas lamentou o gol sofrido no início e alguns erros ofensivos.

- O jogo hoje era muito difícil, como foi. Foi um jogo muito intenso dos dois lados. Facilitamos um pouco, tomamos um gol cedo, que era tudo o que não podia acontecer. Mas mesmo assim tivemos volume para chegar na intermediária do adversário muitas vezes, mas pecamos na última parte, porque com esse volume e os contra-ataques, do jeito que o jogo ficou aberto na segunda parte, era para a gente ter criado oportunidades mais claras e poderia até ter vencido o jogo. A gente não conseguiu construir com mais qualidade essa última parte. Vamos trabalhar durante a semana para melhorar nossa construção de jogada. A equipe está bem postada em campo, fazendo jogos com a intensidade que precisa. Vamos tentar aproveitar esse momento para melhorar a construção final e o acabamento - disse o técnico.

O treinador falou também sobre Deyverson, que marcou o gol de empate do Palmeiras e encerrou um jejum de gols de 13 partidas.

- Pela experiência, tudo que um técnico não pode fazer a todo momento é ficar trocando, trocando, trocando, senão não se chega a lugar algum. Ele teve a oportunidade, está merecendo, hoje fez um grande jogo na minha opinião. Principalmente nos momentos em que tivemos mais dificuldade de transição da defesa para o ataque. O Athletico marcou alto, então tivemos que fazer um jogo mais longo, nas costas da linha defensiva, para disputar a primeira bola o Deyverson foi fundamental. E foi premiado com o gol pelo esforço que teve. Todos vão jogar em um momento ou outro, mas a função não é tão simples. Ser camisa 9 de um time requer uma confiança individual maior, porque esse jogador decide o jogo. Se trocarmos a todo momento, não vou dar confiança ao Deyverson.

O Palmeiras se prepara para enfrentar o Avaí na Ressacada, pela 28ª rodada no próximo domingo, às 16h.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade