1 evento ao vivo

Mais do que 'perde e pressiona': veja o que Luxa quer no adeus aos EUA

Palmeiras se despede da Florida Cup às 16h (horário de Brasília) deste sábado, diante do norte-americano New York City, e objetivo do treinador é aprimorar as ações ofensivas

18 jan 2020
09h02
atualizado às 09h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Às 16h (horário de Brasília) deste sábado, o Palmeiras tem seu último compromisso antes das partidas oficiais na temporada. O time tem pela frente o New York City, dos Estados Unidos, na despedida da Florida Cup, torneio que é visto como parte da pré-temporada. E é exatamente por isso que o técnico Vanderlei Luxemburgo enxerga o duelo com um objetivo: aprimorar as ações ofensivas de seus comandados.

Aproveitar melhor Luiz Adriano é um dos objetivos de Luxemburgo (Cesar Greco/Agência Palmeiras/Divulgação)
Aproveitar melhor Luiz Adriano é um dos objetivos de Luxemburgo (Cesar Greco/Agência Palmeiras/Divulgação)
Foto: Lance!

Na reestreia do técnico, que está em sua quinta passagem pelo clube, o time ficou no 0 a 0 diante do Atlético Nacional, da Colômbia, ganhando um ponto extra nos pênaltis. Luxa gostou de ver o espírito que quer implantar na equipe, de reagir rapidamente ao perder a bola para tentar desarmar, o que chama de "perde e pressiona". Mas a ligação entre meio e ataque apresentou falhas.- Faltou um pouco da ligação dos meias para encontrar a parte da frente. Mas é normal. E o Luiz Adriano sai muito bem da área, e abre espaço. Preciso de alguém que entre nesse espaço deixado por ele. Vamos trabalhar muito isso aí - indicou o treinador, logo depois da partida de quarta-feira.

Em uma análise ofensiva, Luxemburgo gostou de ver como Dudu, destaque do time titular, que atuou só no primeiro tempo, incomoda o adversário. Em relação a Lucas Lima, elogiou o espírito de tentar desarmar rivais. Porém, tanto ele como Raphael Veiga, escalado aberto pela esquerda, ainda tiveram dificuldade na movimentação, inclusive para aproveitar as características de Luiz Adriano, centroavante que não costuma ficar preso à área.

No segundo tempo, a movimentação foi melhor com um setor ofensivo bem mais jovem: Gabriel Veron e Wesley, formados nas categorias de base, chegaram a encurralar o Atlético Nacional enquanto compuseram a parte da frente com Zé Rafael e Willian. A ligação com o ataque também foi muito bem feita por outro garoto, Gabriel Menino.

Luxemburgo levou 28 jogadores para os EUA, e certamente não usará dois: Matheus Fernandes e Gustavo Scarpa, que acertam suas saídas do clube. A promessa é de repetir a mudança de um time inteiro no intervalo, e realizar mais substituições no segundo tempo. Mas todos entrando com o mesmo espírito: se perder a bola, é para tentar recuperar rapidamente.

- Tivemos uma coisa muito boa dentro do jogo, que treinei: o perde e pressiona. Tanto com a primeira equipe quanto com a segunda equipe, conseguimos roubar algumas bolas no ataque, pressionando o adversário a errar. Às vezes, a bola ia para fora. Às vezes, roubávamos a bola, e tivemos chances assim, principalmente com a garotada, no segundo tempo, de ir para dentro do gol. No primeiro tempo, também roubamos bastante bola. Isso será uma constante nossa, vou trabalhar muito em cima disso - prometeu Luxa.

O duelo diante do New York City, que perdeu por 2 a 1 para o Corinthians, na quarta-feira, é o último passo antes das partidas oficiais. Na quarta-feira, o Palmeiras já estreia no Campeonato Paulista, fora de casa, diante do Ituano.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade