0

Falas de Dome e Filipe Luís corroboram alerta para aspecto físico no Flamengo

Rubro-Negro carioca voltou a decepcionar, em diversos aspectos, mas teve o quesito físico sublinhado, principalmente, pelo treinador. Ausência de intensidade e ritmo alarma

13 ago 2020
06h03
atualizado às 08h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Flamengo fez um papel vexatório em Goiânia. Na última noite, diante de um Atlético-GO corajoso para atacar e calibrado, o time de Domènec Torrent saiu derrotado por 3 a 0, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O que mais pesa para, além do revés repetido na competição, a atuação pífia?

Sem estar na forma ideal, Gabigol chega ao seu maior jejum pelo Fla (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Sem estar na forma ideal, Gabigol chega ao seu maior jejum pelo Fla (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Foto: Lance!

Após o jogo no Estádio Olímpico, as falas de Dome e Filipe Luís, personagens das entrevistas coletivas, corroboraram para um aspecto que já havia aparecido no segundo tempo da estreia no Brasileirão (contra o Atlético-MG): o físico. A queda de intensidade para equilibrar as ações com o Galo foi determinante.

Ontem, ficou mais nítida a falta de ritmo e até de mobilidade de algumas das peças-chaves do elenco, como Bruno Henrique e Gabigol, que chega ao sexto jogo consecutivo sem ir às redes - o seu maior jejum pelo Fla.

Dome justificou o revés nesta linha, mesmo que o Atlético-GO tenha ficado quase cinco meses sem atuar em uma partida oficial. A torcida não digeriu.

Através dos debates na opinião pública e redes, destaca-se a impressão de displicência quanto à preparação física no Ninho do Urubu nos últimos dias.

- Jogamos depois de 24 dias, parece que estamos na pré-temporada, um ritmo muito mais baixo, os outros em um ritmo mais alto, mas trabalharemos para fazer uma equipe vencedora. Certamente venceremos novamente. Eu preciso de tempo, os jogadores precisam de tempo. Não para jogar com Dome como técnico, mas para estarem melhor fisicamente, jogarem mais jogos e voltarem a vencer - salientou o catalão.

Uma fator que reflete o "ritmo muito mais baixo" é a quantidade de faltas feitas pelo Rubro-Negro carioca contra o Dragão: 19, um número significativo e que não fazia parte da rotina do time impetuoso e dominante de outrora.

Filipe Luís, um dos líderes do elenco e que já salientou que "várias coisas estão acontecendo" além da adaptação do técnico, mas sem revelá-las, admitiu que o cenário atual é "algo a se analisar".

- É um início diferente, com mudanças, uma pandemia, mas nada é desculpa. A forma como não estamos desempenhando o nosso futebol é algo a se analisar. Vamos estudar e buscar corrigir.

JESUS JÁ HAVIA ALERTADO...

Antes de retornar ao Benfica, Jorge Jesus havia alertado para a questão física (realçando os homens da frente). E isso ocorreu na entrevista coletiva após o título carioca, ou seja, o jogo de despedida do português. Relembre o que foi dito pelo Mister:

- O time tem que melhorar. A equipe ainda não atingiu os níveis do ano passado. Há jogadores que não estão na mesma forma física, os quatro avançados: Arrascaeta, Everton, o Gabi e o Bruno Henrique são jogadores que não estão nem mais ou menos daquilo que estavam no ano passado - falou Jesus, externando um contratempo que se arrasta desde a volta da paralisação.

PRÓXIMO DESAFIO

O Fla é o lanterna do Campeonato Brasileiro. De voo fretado, parte direto para a capital do Paraná, sem retornar ao Rio, para duelar com o Coritiba, neste sábado (19h30). O tempo para dar gás aos jogadores é curto, então, a resposta positiva terá que ser dada na base da maior técnica e afinamento tático.

Veja também:

Resumão do Mercado - #2
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade