1 evento ao vivo

Após prisão de Nuzman, Comitê Rio 2016 se reúne nesta terça

Após o afastamento do presidente, o comitê organizador tem como missão restabelecer governança e sanar R$ 132 milhões em dívidas

16 out 2017
13h54
atualizado às 14h29
  • separator
  • comentários

O futuro do comitê organizador dos Jogos Olímpicos Rio-2016 deve ser definido nesta terça-feira. Na ocasião, o conselho da entidade se reunirá a fim de reestruturar sua governança, já que seu presidente, Carlos Arthur Nuzman, está preso. Além disso, o Comitê Rio-2016 busca solucionar suas dívidas decorrentes da organização dos Jogos, que beiram os R$ 132 milhões.

Nuzman é acusado de participar de esquema para eleger o Rio como cidade sede (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP)
Nuzman é acusado de participar de esquema para eleger o Rio como cidade sede (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP)
Foto: LANCE!

Antes de ser preso, Nuzman buscou patrocinadores para quitar o débito, porém sem sucesso. Uma das possíveis saídas para o pagamento do montante era o Comitê Olímpico Internacional (COI). Contundo, a entidade já anunciou que não arcará com a dívida. Preso desde o início deste mês, acusado de participação em esquema de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, o cartola pediu afastamento da presidência do comitê organizador - e do Comitê Olímpico do Brasil (COB) - na última quarta-feira.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Luiza Trajano é a favorita a assumir o posto de Nuzman. A segunda opção seria Manoel Felix Cintra Neto. Também existe a possibilidade de a entidade operar sem um presidente.

O contrato firmado com o COI contém uma cláusula que obriga, judicialmente, a Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo do Estado a arcar com o déficit dos Jogos Olímpicos após a dissolução do comitê organizador, que está programado para 2023.

Caso de corrupção na Olimpíadas 2016 ganha mais capítulos
LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade