PUBLICIDADE

Brasileiros ficam fora da final dos 110m com barreiras

Gabriel Constantino e Rafael Pereira não conseguiram passar das semifinais em suas baterias classificatórias nos Jogos Olímpicos de Tóquio

3 ago 2021 23h32
| atualizado em 4/8/2021 às 00h39
ver comentários
Publicidade

Nesta terça-feira, Gabriel Constantino e Rafael Pereira disputaram a semifinal dos 110m com barreiras, porém não conseguiram se classificar para a grande decisão por medalhas desta prova do atletismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Enquanto o primeiro brasileiro ficou na última posição de sua bateria, o segundo terminou a sua série eliminatória na sexta colocação.

Com o brasileiro Rafael Pereira ao fundo, Grant Holloway corre para terminar semifinais na liderança
Com o brasileiro Rafael Pereira ao fundo, Grant Holloway corre para terminar semifinais na liderança
Foto: Lucy Nicholson/Reuters

Gabriel esteve na primeira das três baterias da semifinal. Competindo na raia 3, o brasileiro fez uma largada ruim e não conseguiu se recuperar até o final, terminando na oitava e última colocação de sua bateria, com o tempo de 13s89. O jamaicano Ronald Levy foi o vencedor desta disputa, com a marca de 13s23.

Na terceira bateria da semifinal, foi a vez de Rafael competir. Na raia de número 5, o brasileiro não fez um início de prova ruim, porém não manteve o ritmo e ficou para trás, terminando na sexta posição de sua série, com o tempo de 13s62. O norte-americano Grant Holloway foi o ganhador desta prova classificatória ao cruzar a linha de chegada após 13s13.

Na classificação geral entre os 24 competidores que disputaram as três baterias das semifinais, Rafael Pereira foi o 17º colocado, enquanto Gabriel Constantino ficou apenas em 22º lugar. O líder geral foi Grant Holloway, seguido de perto pelo seu compatriota Devon Allen, dono do segundo melhor tempo, com 13s18.

O jamaicano Hansle Parchment avançou em terceiro, com 13s23, o mesmo tempo cravado por outro representante da Jamaica, justamente Ronald Levy, o ganhador da bateria de Gabriel nas semifinais.

Apesar das eliminações, os velocistas brasileiros mostraram felicidade por terem disputado as semifinais desta prova do atletismo da Olimpíada. Gabriel, inclusive, revelou que tinha um incômodo na coxa esquerda, mas destacou, em entrevista ao SporTV: "Eu conversei com o treinador e a parte médica do COB. Mas nada ia me impedir de vir aqui competir. Hoje, eu sou semifinalista olímpico representando o Brasil".

"Eu não gostei do tempo, foi o meu pior da temporada. Mas não tira nem um pouco a minha felicidade de estar aqui. Especialmente correndo do lado dos caras (outros competidores). Caras que eu via só na internet e agora (dos quais) sou adversário. Estou 1000% feliz", ressaltou Rafael Pereira. (com informações do Lance!)

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Lance!
Publicidade
Publicidade