PUBLICIDADE

Austrália supera Argentina e encara os EUA na semifinal do basquete masculino

Do outro lado da chave Eslovênia, de Doncic, mede forças com a França por uma vaga na decisão

3 ago 2021 12h44
ver comentários
Publicidade

A Austrália bateu a Argentina por 97 a 59, nesta terça-feira, pelo basquete masculino e avançou às semifinais dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. O adversário dos australianos na briga por uma vaga na final será a seleção dos Estados Unidos, que mais cedo venceu a Espanha por 95 a 81. O duelo acontecerá nesta quinta.

O time da Oceania teve segundo tempo arrasador e confirmou o favoritismo, despachando os sul-americanos de volta para casa com grande atuação conjunta de nomes conhecidos que atuam na NBA. O grande jogador da partida foi o armador Patty Mills. O atleta que defendeu o San Antonio Spurs na última temporada, mas ainda tem futuro incerto na liga, terminou a partida com 18 pontos, dois rebotes e quatro assistências.

Matisse Thybulle, do Philadelphia 76ers, fez 12 pontos, além de cinco rebotes e duas assistências, e Joe Ingles, do Utah Jazz, fechou o jogo com 11 pontos, quatro rebotes e três assistências. Jock Landale, que atua no basquete australiano, foi outro que apareceu bem com 12 pontos, sete rebotes e cinco assistências.

A Argentina até começou fazendo jogo duro, mas sucumbiu no segundo tempo com atuação apática e deu adeus ao sonho de mais uma medalha olímpica na modalidade. Nicolás Laprovittola, do Real Madrid, foi o melhor jogador da equipe com 16 pontos, um rebote e quatro assistências. Gabriel Deck anotou um "double-double" (dois dígitos em dois fundamentos) com 12 pontos e 10 rebotes e Facundo Campazzo terminou a partida com nove pontos, quatro rebotes e cinco assistências.

Na outra semifinal, a França encara a Eslovênia de Luka Doncic. Primeira colocada no Grupo A, dos Estados Unidos, a seleção francesa enfrentou a Itália, segunda do B, e teve que segurar os rivais na reta final da partida para sair com a vitória. Com um "double-double" de Nicolas Batum, fizeram 84 a 75 e agora enfrentam os eslovenos.

Batum, que teve seu contrato renovado com o Los Angeles Clippers, foi um dos destaques do time francês com 15 pontos, 14 rebotes e três roubos. Além dele, Rudy Gobert, pivô do Utah Jazz, terminou a partida com 22 pontos e nove rebotes, e Evan Fournier, recém-contratado pelo New York Knicks, conseguiu 21 pontos.

Pelo lado italiano, o ala Simone Fontecchio terminou o jogo com 23 pontos. Danilo Gallinari, ala do Atlanta Hawks, registrou 21 pontos e 10 rebotes, e Achille Polonara, ala do Fenerbahçe, da Turquia, obteve 15 pontos e sete rebotes.

Para chegar às semifinais, a Eslovênia contou com mais uma boa atuação de Doncic para superar sem maiores problemas a Alemanha por 94 a 70. O jogador do Dallas Mavericks teve mais uma performance dominante e terminou a partida flertando com o "triple-double" (dois dígitos em três fundamentos) - teve 20 pontos, oito rebotes e 11 assistências, sendo decisivo após o intervalo.

Apesar da grande noite do astro, o maior cestinha foi Zoran Dragic, irmão de Goran Dragic, que atua na NBA. O ala esloveno encerrou a sua excelente performance com 27 pontos, seis rebotes e quatro assistências.

Pelo lado da Alemanha, algoz do Brasil no Pré-Olímpico da Croácia, a dupla Maodo Lo (11 pontos) e Niels Giffey (10) foram os maiores pontuadores. Moritz Wagner, atleta do Orlando Magic e principal nome do time alemão, decepcionou e fechou o confronto com nove pontos e cinco erros, em apenas 10 minutos em quadra.

Estadão
Publicidade
Publicidade