PUBLICIDADE

Atleta olímpico Paulo André pode perder Bolsa Atleta por participar de BBB 22, da Globo; entenda

atleta paulistano é radicado no Espirito Santo e recebe a ajuda financeira através da Secretária de Esportes e Lazer do Espirito Santo (Sesport)

15 jan 2022 14h24
ver comentários
Publicidade

O atleta olímpico Paulo André Camilo, de 23 anos, aceitou o convite da Globo para participar do reality 'Big Brother Brasil 22'. A decisão obriga ao velocista a fazer uma pausa na carreira e pode ter implicações financeiras. Segundo o jornal 'A Gazeta', o corredor pode perder o bolsa atleta, ajuda financeira que recebe do governo no valor de R$ 2 mil para seu sustento durante a carreira.

Paulo André fez uma pausa na carreira para participar de reality global (Foto: Divulgação/Globo)
Paulo André fez uma pausa na carreira para participar de reality global (Foto: Divulgação/Globo)
Foto: Lance!

O atleta paulistano é radicado no Espirito Santo e recebe a ajuda financeira através da Secretária de Esportes e Lazer do Espirito Santo (Sesport). Além disso, ele é profissional do clube Pinheiros, de São Paulo e patrocinado pela Nike. Caso vença o reality, ele pode embolsar R$ 1,5 milhão. Além disso, com a exposição, o atleta pode faturar com ações publicitárias da mesma forma como fazem os influenciadores digitais.

- O edital 2021 do Bolsa Atleta é o primeiro que contempla o atleta Paulo André Camilo com o benefício financeiro. Com a entrada do atleta no BBB, a Sesport vai avaliar, junto a Procuradoria Geral do Estado (PGE), quais medidas serão tomadas diante da situação. Vale lembrar que o edital prevê três tipos de penalidade: advertência, suspensão e cancelamento do benefício - diz o comunicado da Sesport.

A perda pode ser dar pelo tempo em que Paulo André fique sem treinar e competir, como prevê em edital do beneficio. Caso fique no programa até o final, o velocista pode ficar fora de suas funções até maio. No artigo 14, que fala sobre advertência, suspensão ou cancelamento, consta no item 5º, na letra D, a ressalva:

- Deixar de treinar ou faltar às competições oficiais de que deva participar sem justa causa.

O item seguinte fala sobre a hipótese de penalização com suspensão do pagamento por um mês em caso de ausência do atleta em treinos e competições e, em caso de reincidência, seria aplicada o cancelamento. A aplicação da penalidade seria feita dentro do prazo de cinco dias úteis contados da data de notificação. (Veja o edital).

Ainda segundo 'A Gazeta', o Bolsa Atleta Capixaba beneficia 151 atletas e paratletas de alto rendimento. O auxilio mensal varia conforme a categoria do atleta, sendo R$ 500 (estudantil), R$ 1.500 (nacional), R$ 2 mil (internacional, que é o caso do velocista) e R$ 4 mil (olímpico). O investimento total da Sesport no programa é de R$ 2,3 milhões.

Lance!
Publicidade
Publicidade