PUBLICIDADE

Acidente do Canadá no bobsled assusta e muda perfil de torcida

23 fev 2014 07h54
| atualizado às 07h54
ver comentários
Publicidade
Trenó da equipe Canadá III virou de ponta cabeça durante a disputa do bobsled
Trenó da equipe Canadá III virou de ponta cabeça durante a disputa do bobsled
Foto: AP

O principal susto do bobsled na Olimpíada de Inverno de 2014, em Sochi (Rússia), foi protagonizado por um time canadense. Na segunda bateria dos quartetos masculinos, o trenó Canadá III virou no fim da prova e cruzou a linha de chegada de cabeça para baixo. Nenhum dos integrantes – Justin Kripps, Jesse Lumsden, Cody Sorensen e Ben Coakwell – se feriu.

Ainda assim, a cena causou alguma comoção no Sanki Sliding Center, palco das disputas da modalidade. Assim que o trenó caiu, a música que animava o ambiente foi imediatamente cortada pelo sistema de som do local. O público demonstrou apreensão, antes que um silêncio tomasse conta do ambiente.

A situação só se tornou menos tensa quando os quatro integrantes do Canadá III deixaram o trenó caminhando. A torcida presente, acostumada aos gritos de “Rússia, Rússia”, aplaudiu longamente o quarteto e passou a gritar “Canadá, Canadá”. Os atletas passavam bem, segundo informações divulgadas pelo Comitê Olímpico Canadense, e apenas seriam submetidos a exames de rotina.

Equipe do Canadá III não demonstrou apreensão após tombar na descida do trenó
Equipe do Canadá III não demonstrou apreensão após tombar na descida do trenó
Foto: AP

Para quem está dentro da pista, no entanto, o fato foi encarado com certa normalidade. O americano Nick Cunningham, que pilota o Estados Unidos II, disse que a pista não oferece riscos e que os acidentes são uma ameaça constante no bobsled. Mesmo assim, torceu para que os canadenses não tivessem se ferido.

Jogadores do Southampton criam o "curling humano"; veja:

“É com isso que lidamos neste esporte. Batidas acontecem, eu tive algumas na temporada. Você precisa lidar com isso. Sentimos por aquele time. Estivemos lá também”, contou Cunningham. “Somos uma grande família neste esporte. Ver um time cair não é o que queremos. Queremos vencer. Todos os competidores querem vencer os outros em seus melhores dias, então é algo ruim para nós. Sentimos muito pelos canadenses”, completou.

O piloto Edson Bindilatti, do Brasil I, também se mostrou preocupado com o acidente dos canadenses, e lembrou que todos estão sujeitos a situação parecida. Para ele, o que derrubou o Canadá III foi uma entrada prematura em uma das últimas curvas, o que acabou desestabilizando o time.

“A gente se preocupa com a integridade dos atletas quando acontece. A gente viu que acontece com os melhores. Quando o piloto busca uma linha rápida à perfeição ,corre o risco de tombar. Foi o que aconteceu”, disse. “Ele entrou muito cedo na Curva 14 e a curva ‘chupou’ ele para (o lado de) dentro. Aí, o trenó inteiro foi para dentro da curva”, analisou.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade