PUBLICIDADE
Logo do

Seleção Holandesa

Meu time

Após queda na Eurocopa, Frank de Boer é demitido da Holanda

Ex-zagueiro não resistiu ao resultado negativo na competição europeia; holandeses perderam da República Checa nas oitavas de final

29 jun 2021 12h20
| atualizado às 12h46
ver comentários
Publicidade

Depois das expectativas geradas com a campanha perfeita na fase de grupos (vitórias sobre Ucrânia, Áustria e Macedônia do Norte), a Holanda decepcionou ao ser eliminada nas oitavas de final da Eurocopa com uma derrota por 2 a 0 para a República Checa, no último domingo, em Copenhague, na Dinamarca. Nesta terça-feira, a consequência disso caiu no colo do técnico Frank de Boer, que não comanda mais a seleção do país.

Jogadores da seleção checa comemoram durante vitória que eliminou a Holanda da Eurocopa
Jogadores da seleção checa comemoram durante vitória que eliminou a Holanda da Eurocopa
Foto: Bernadett Szabo / Reuters

A saída do ex-zagueiro, um dos destaques da seleção e do Ajax quando era jogador na década de 1990, foi definida logo após uma reunião de dirigentes da Real Associação Holandesa de Futebol (KNVB, na sigla em holandês), em Amsterdã. As duas partes chegaram a um acordo. O treinador manifestou o desejo de deixar o cargo, vontade que se aliou à da federação, que estabeleceu como meta em contrato a chegada às quartas de final da competição continental.

"Me antecipando à avaliação da diretoria, decidi não continuar como técnico da seleção. O objetivo não foi alcançado, isso está claro. Quando fui abordado para me tornar assumir o cargo em 2020, achei uma honra e um desafio, mas também estava ciente da pressão que viria a partir do momento em que fosse contratado. Essa pressão só está aumentando agora e isso não é uma situação saudável para mim, nem para o elenco a caminho de jogos tão importantes para o futebol holandês, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo", disse De Boer, por meio de um comunicado oficial.

Substituto de Ronald Koeman, que deixou a seleção em agosto do ano passado para comandar o Barcelona, Frank de Boer fez 15 jogos à frente da seleção, nos quais conseguiu oito vitórias, quatro empates e três derrotas. "Quero agradecer a todos, e é claro, aos torcedores e jogadores. Meus cumprimentos também à administração, que criou um clima verdadeiramente esportivo de primeira linha", finalizou.

O objetivo passa agora a procurar um novo treinador o mais rápido possível, pois a Holanda volta a campo em 1.º de setembro contra a Noruega, em Oslo, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, que será no Catar. O país está no grupo G do qualificatório e ocupa, após três rodadas, a segunda colocação, com seis pontos. Tem três a menos do que a líder Turquia, para quem perdeu na estreia por 4 a 2, em Istambul. Na sequência, bateu a Letônia por 2 a 0, em Amsterdã, e goleou Gibraltar por 7 a 0 como visitante.

Estadão
Publicidade
Publicidade