PUBLICIDADE

Recuperado de paralisia, Falcão exalta ano “entre frustração e auge”

4 dez 2012 23h28
| atualizado às 23h30
ver comentários
Publicidade

O consagrado jogador de futsal Falcão ainda tem o olhar um pouco enviesado. Em recuperação quase completa de paralisia facial por estresse, ele concedeu entrevista na noite desta terça-feira, durante a gravação do Troféu Mesa Redonda, apresentando melhoras no lado direito do rosto. Ele expôs, também, grande alívio, depois de passar 2012 se equilibrando entre a frustração e o auge.

Ala da Seleção Brasileira viveu alegrias com títulos, mas drama de paralisia facial na Tailândia
Ala da Seleção Brasileira viveu alegrias com títulos, mas drama de paralisia facial na Tailândia
Foto: Getty Images

“Estou 80% recuperado. Se não soubessem que eu tive (paralisia facial), ninguém perceberia”, afirmou o jogador, satisfeito. “Esse ano foi tudo no limite entre a frustração e o auge”, afirmou.

Duas experiências levaram Falcão a esse limite. A primeira delas, em setembro e outubro, foi a final da Liga Futsal, na qual acabou campeão pelo Orlândia. No primeiro jogo, ajudou time a tirar desvantagem de quatro gols para empatar por 4 a 4. A outra foi registrada no Mundial de futsal na Tailândia, no qual lesionou a panturrilha logo na estreia e teve dificuldades para jogar.

“Foi estresse todo dia. Eu via o pessoal indo treinar, voltando e eu ali trancando. Almoçava e jantava dentro do quarto, porque se você anda, força a panturrilha. Eu realmente estava naquela coisa de jogar ou não jogar”, relembrou Falcão.

O estresse causou paralisia facial, mas mesmo com dificuldades para movimentar o lado direito do rosto – e até de enxergar -, ele jogou pouco mais de 30 minutos e foi decisivo, marcando duas vezes contra a Argentina nas quartas de final e sendo primordial para a vitória de virada e a classificação. “No final deu tudo certo, e eu faria tudo de novo”, disse o jogador.

“Essa coisa de superação, na hora a gente nem pensa nisso, na repercussão positiva que isso deu. Não era pensando em nada, era vontade de jogar, realmente. Tudo acabou tendo proporção mais bacana porque o título mundial veio junto”, celebrou Falcão, já enxergando bem e praticamente recuperado.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade