PUBLICIDADE

Na edição 200 do Dérbi Campineiro, Guarani vence a Ponte Preta no Brinco de Ouro

Resultado contra rival coloca o Bugre próximo do G4 da Série B, enquanto a Macaca amarga a última posição

19 jun 2021 20h28
| atualizado às 21h36
ver comentários
Publicidade

A noite deste sábado (19) marcou a edição 200 do tradicial Dérbi Campineiro. Disputado no Brinco de Ouro, o clássico foi válido pela 5ª rodada do Brasileirão Série B e terminou com vitória do Guarani. Régis marcou o gol solitário da partida, ainda no primeiro tempo. Com o triunfo, os comandados de Daniel Paulista se aproximam do G4, enquanto a Ponte Preta segue na lanterna da competição nacional e chegou ao seu nono jogo seguido sem vencer na temporada.

Régis fez o gol da vitória do Bugre no Dérbi de Campinas (FOTO: Celso Congilio/Guarani FC)
Régis fez o gol da vitória do Bugre no Dérbi de Campinas (FOTO: Celso Congilio/Guarani FC)
Foto: Lance!

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira (22). O Guarani tem pela frente o Remo, em Belém, às 21h30. Por outro lado, às 19h, a Ponte Preta recebe o Operário, em Campinas. Ambas as partidas serão válidas pela 6ª rodada do Brasileirão Série B.

Dérbi começa quente

A bola mal começou a rolar no Brinco de Ouro e o primeiro gol quase saiu. Acionado pela lateral direita, Diogo Mateus cruzou em direção à área. Júlio César dominou já girando para cima da marcação e, em seguida, finalizou. Ygor Vinhas fez a defesa, e Cleylton afastou, evitando que o placar fosse inaugurado com 50 segundos.

As equipes protagonizaram uma partida aberta e franca nos minutos iniciais. Aos três minutos, Niltinho tentou responder a investida do Bugre com um chute da intermediária, que parou na defesa segura de Gabriel Teixeira. Já aos 11, Dawhan subiu mais que os zagueiros do Guarani e cabeceou no travessão.

Faltou pouco

A partir dos 15 minutos o confronto passou a ficar mais equilibrado, com as duas equipes dividindo a posse de bola e lutando por espaços no meio do campo. Se por um lado a Ponte Preta procurava estudar mais as jogadas, o Guarani tentava ser mais agudo.

O Bugre criou as duas principais jogadas entre os 15 e 30 minutos. Na primeira, Régis recebeu pela esquerda, levou para o fundo e cruzou rasteiro. Diogo Mateus apareceu livre do outro lado, mas, desequilibrado, mandou na rede pelo lado de fora. Pouco depois, Júlio César lançou Bruno Sávio dentro da área. O camisa 11 se esticou todo, porém não conseguiu acertar a bola.

Zagueiro armador e meia artilheiro

A partida seguiu estudada em Campinas e com muitas faltas. Ao todo, dois cartões amarelos foram apresentados para cada equipe antes do intervalo. Aos 36 minutos, Gabriel Teixeira se mostrou atento e evitou que Camilo surpreendesse em cobrança de falta na lateral da área.

Quando o relógio bateu na casa dos 41 minutos, o Guarani abriu o placar. O zagueiro Carlão recebeu no meio de campo e foi avançando. Livre, invadiu a intermediária adversária e deu passe firme para Régis. O meia recebeu, girou para cima da marcação e chutou forte, rasteiro, abrindo o placar no Brinco de Ouro. Esse foi o terceiro gol do camisa 78 no torneio, o que o deixa como o maior goleador do Bugre na atual edição.

Bote salvador

A etapa final se mostrou aberta nos primeiros minutos, assim como aconteceu no início do primeiro tempo. Com as duas equipes dispostas a buscarem o gol, os espaços começaram a aparecer.

Em busca do empate, a Ponte Preta passou a ser mais aguda do que foi durante os 45 minutos iniciais. Aos 6', Moisés ajeitou para Rafael Santos, que bateu cruzado, mas sem acertar o alvo. Pouco depois, Rodrigão fez bom pivô e deixou Moisés na cara do gol. O atacante demorou a definir e viu Thales chegar na hora certa para travar e mandar em escanteio. Na cobrança, Rodrigão desviou de cabeça e mandou ao lado esquerdo da meta defendida por Gabriel Mesquita.

Jogo fica truncado e clima esquenta

Sem muitos espaços, a Ponte Preta começou a ter dificuldades na criação das jogadas. Desse modo, a Macaca passou a abusar de lançamentos longos e, que na maioria das vezes, pararam nas mãos de Gabriel Teixeira.

Pelo lado do Guarani, Bruno Sávio por pouco não marcou um lindo gol para aumentar a vantagem. O atacante fez boa jogada pelo lado direito, colocou a bola entre as pernas do adversário e obrigou Ygor Vinhas a fazer a defesa. Nos minutos seguintes, Niltinho e Régis se desentenderam e, mais tarde, Bruno Sávio e Ednei criaram novo tumulto.

Guarani se fecha, e Ponte parte para o desespero

Os minutos finais em Campinas mostraram duas equipes completamente distintas. Precisando do resultado, a Ponte Preta tentou chegar na base dos cruzamentos em direção a área, mas sem eficiência.

Em contrapartida, o Guarani se fechou no campo defensivo e deixou a bola com o rival, ficando a espera de um contra-ataque, que veio quando Bruno Sávio arrancou aos 49 minutos e mandou para fora, mas o lance não fez diferença. Melhor durante grande parte do jogo, o Bugre consolidou sua vitória no Dérbi.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas-SP

Data/Horário: 19 de junho de 2021, às 18h30

Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)

Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Éder Alexandre (SC)

Gol: Régis (41'/2°T) (1-0)

Cartões Amarelos: Thales, Diogo Mateus, Régis, Bruno Sávio (Guarani), Kevin, Rodrigão, Niltinho (Ponte Preta)

GUARANI: Gabriel Mesquita, Diogo Mateus, Thales, Carlão (Ronaldo Alves, aos 23'/2°T) e Bidu; Bruno Silva (Tony, aos 38'/2°T), Rodrigo Andrade (Índio, aos 20'/2°T), Bruno Sávio, Régis (Titi, aos 38'/2°T), Júlio César (Matheus Souza, aos 19'/2°T) e Davó. Técnico: Daniel Paulista.

PONTE PRETA: Ygor, Kevin (Felipe Albuquerque, aos 39'/2°T), Ednei, Cleylton e Rafael Santos; Dawhan, Vini Locatelli (Richard, aos 24'/2°T) e Camilo (Renatinho, aos 33'/2°T); Niltinho (Josiel, aos 33'/2°T), Rodrigão e Moisés (Fessin, aos 24'/2°T). Técnico: Gilson Kleina.

Lance!
Publicidade
Publicidade