PUBLICIDADE

Hamilton lamenta racismo e defende jogadores da Inglaterra

Piloto da F1 critica "abuso racial inaceitável" contra 3 atletas negros que erraram pênaltis na final em que a Itália conquistou a Eurocopa

12 jul 2021 11h20
| atualizado às 12h57
ver comentários
Publicidade

Lewis Hamilton queria apenas acompanhar a final da Eurocopa entre Inglaterra e Itália, mas se deparou com uma questão que vai muito além do esporte. Os atos racistas contra os três jogadores ingleses que erraram pênaltis - todos de cor negra - levaram o heptacampeão da Fórmula 1 a fazer postagem deixando claro: não há espaço para intolerância na sociedade.

Lewis Hamilton criticou racismo praticado contra jogadores da seleção inglesa
Lewis Hamilton criticou racismo praticado contra jogadores da seleção inglesa
Foto: LAT Images/Mercedes / Grande Prêmio

"O abuso racial das redes sociais contra nossos atletas, depois do jogo de ontem, é inaceitável", escreveu Hamilton no Instagram. "Esse tipo de ignorância precisa parar. Tolerância e respeito por nossos jogadores de cor não deveria ser algo condicional. Por favor, não deixe quieto ao encontrar gente postando ódio. Desafie-os a mostrar humanidade, independente de cor. Estou muito orgulhoso de onde a Inglaterra chegou", seguiu.

Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka erraram as cobranças de pênalti contra a Itália, que venceu a disputa por 3 a 2, no último domingo, em Londres, e levou o título da Eurocopa. A coincidência da cor de pele levou a uma série de mensagens racistas nas redes sociais, prontamente repudiadas tanto pelo primeiro-ministro Boris Johnson quanto pelo técnico Gareth Southgate. Em outra mensagem no Instagram, Hamilton detalhou o que pensou enquanto acompanhava a derrota inglesa na televisão.

"Muita coisa estava passando pela minha cabeça enquanto assistia aos últimos momentos do jogo de ontem", recordou. "Por um lado, estava muito orgulhoso de como chegamos longe [na Eurocopa], estando na final com uma equipe muito diversa, o que é uma conquista que nos orgulha muito. Só que, com os jogadores indo bater pênaltis, fiquei preocupado. A pressão para entregar resultado é sentida por todos os atletas, mas essa experiência ganha um novo nível quando você é uma minoria representando um país. O sucesso seria como uma vitória em dobro, mas o fracasso também seria em dobro, composto também por racismo", apontou.

"Eu queria muito essa vitória, como todos vocês. Só que, para mim, era muito mais do que apenas vencer uma Eurocopa. O comportamento desprezível de alguns mostra como ainda precisamos trabalhar muito. Espero que isso abra um debate sobre aceitação. Precisamos trabalhar para ter uma sociedade que não exija jogadores pretos provando seus valores através da vitória. No fim, todo mundo na equipe da Inglaterra deveria se orgulhar do alcançado, de como nos representaram", encerrou.

Hamilton se acostumou a sair em defesa de minorias. Único piloto negro da história da Fórmula 1, Lewis pediu justiça a pessoas como George Floyd e Breonna Taylor, dois negros mortos pela polícia norte-americana em 2020. A luta antirracista continua em 2021, com o heptacampeão capitaneando um movimento de pilotos se ajoelhando antes de cada GP da máxima categoria do automobilismo.

 
 
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade