8 eventos ao vivo

De saída do PSG, Cavani e Thiago Silva tentam continuar na Europa para jogar a Copa de 2022

Atacante uruguaio e zagueiro brasileiro estão com contrato próximo do fim e tiveram a situação monitorada por clubes brasileiros

24 jun 2020
05h12
atualizado às 11h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Dois dos principais jogadores do Paris Saint-Germain, da França, o atacante uruguaio Cavani e o zagueiro brasileiro Thiago Silva não permanecerão no clube de Paris para a próxima temporada europeia. Eles estão com contratos próximo do fim, e o diretor Leonardo já admitiu que a era da dupla no PSG se encerrará neste ano. Ambos tentam permanecer no Velho Continente porque têm o desejo de manter o nível competitivo até a disputa da Copa do Mundo de 2022, no Catar. Os dois fazem parte atualmente de suas respectivas seleções.

O contrato deles se encerraria no fim de junho. No entanto, em razão da paralisação no futebol causada pela pandemia do coronavírus, os dois jogadores renovaram o acordo até agosto para a disputa da Liga dos Campeões. O esporte na França foi interrompido no começo de março, e a liga declarou o PSG campeão nacional mesmo só tendo sido jogadas 28 rodadas, dez a menos do que o total.

Tanto Cavani quanto Thiago Silva tiveram a situação monitorada por clubes brasileiros. O entrave no momento é o alto salário e o desejo da dupla de continuar na Europa. Eles ganham em euros. Quase seis vezes mais o valor do real. O São Paulo surgiu como possível interessado no atacante uruguaio de 33 anos, que é amigo de Lugano, ex-zagueiro e atualmente dirigente do clube tricolor. Lugano, porém, descartou a contratação neste momento e brincou com a situação.

"Se fizer uma vaquinha entre todos os clubes brasileiros, mais Boca Juniors e River Plate, não conseguimos trazê-lo. Infelizmente. Claro que tem o papo de amigo, estamos sempre perto dele, para saber se um dia teria vontade de voltar para a América do Sul", disse Lugano. Segundo a emissora inglesa Sky Sports, quem está atrás do uruguaio é o Barcelona, que sonha em montar uma dupla de compatriotas entre o ex-PSG e Luis Suárez.

Já no caso de Thiago Silva, foi o próprio jogador de 35 anos que descartou retornar ao Brasil. Ele é acompanhado pelo Fluminense, seu clube formador. Apesar de já ter comentado o desejo de voltar a defender o time carioca antes de parar, o zagueiro acredita que a melhor opção no momento é continuar na Europa. "Todo mundo sabe do carinho que tenho pelo Fluminense, mas ainda tenho objetivos na Europa a serem cumpridos. Espero que possa cumpri-los", afirmou Thiago Silva, em uma live no Instagram.

De acordo com a imprensa europeia, o provável destino de Cavani é o Atlético de Madrid, da Espanha. A conversa entre o atacante e o clube espanhol teve início ainda na última janela de transferência, mas o PSG não liberou o jogador a seis meses do fim do contrato. Os franceses exigiram receber 20 milhões de euros (R$ 120 milhões), quantia que o Atlético de Madrid não estava disposto a pagar. Agora, como estará livre no mercado, a tendência é de que Cavani acerte com o clube espanhol sem custos.

Em relação a Thiago Silva, surgem diversos clubes interessados em contar com o zagueiro brasileiro a partir da próxima temporada. Recentemente, a imprensa francesa noticiou que o Lyon pode fazer uma oferta ao jogador. Além disso, o técnico do Napoli, Gennaro Gattuso, já chegou a dizer que gostaria de contar com Thiago em seu elenco.

Saída de ídolos alivia folha salarial do PSG

Após rechear o elenco com estrelas e gastar cerca de 400 milhões de euros (R$ 2,3 bi) para contratar Neymar e Mbappé, o PSG visa reduzir a folha salarial. Segundo a imprensa europeia, Thiago Silva recebe 1,5 milhão de euros por mês (R$ 8,7 milhões), pouco mais que os vencimentos de Cavani. Seriam cerca de 3 milhões de euros a menos de redução mensal na folha de pagamento do clube francês.

"Foi uma decisão muito difícil de tomar. São jogadores que marcaram a história do clube. Sempre nos perguntamos se devíamos continuar por um longo caminho ou se não valia a pena. As histórias foram muito bonitas, mas, sim, estão chegando ao fim", afirmou o diretor esportivo do PSG, Leonardo, em entrevista ao "Le Journal du Dimanche", da França. "Tivemos de tomar uma decisão lógica, até economicamente ou em relação à geração que está por vir. Nunca há um momento perfeito", acrescentou o dirigente.

Thiago Silva chegou ao PSG em 2012, contratado do Milan, da Itália, e é atualmente o capitão da equipe. O zagueiro conquistou ao todo 21 títulos: sete do Campeonato Francês, cinco da Supercopa da França, mais cinco da Copa da Liga Francesa, além de quatro da Copa da França. Cavani, por sua vez, chegou na temporada seguinte e conquistou 19 títulos. O uruguaio também é titular absoluto da equipe e um dos líderes do elenco.

Veja também:

Newell’s Old Boys sonha com retorno de Messi
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade