0

Balbuena diz que se surpreendeu com adaptação e exalta Vardy

Zagueiro paraguaio afirmou que a intensidade é a grande diferença entre o futebol europeu e sul-americano

11 set 2020
09h00
atualizado em 15/9/2020 às 10h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O zagueiro paraguaio Fabián Balbuena se destacou no Corinthians entre 2016 e 2018 antes de se transferir para o West Ham, da Inglaterra. Em conversa com o Terra, o defensor contou sobre a sua adaptação, falou da diferença do futebol na América do Sul e na Europa e, claro, relembrou a sua passagem pelo Brasil.

Balbuena afirmou que está adaptado ao futebol inglês
Balbuena afirmou que está adaptado ao futebol inglês
Foto: Reprodução/West Ham

"A primeira diferença que eu conseguir ver fácil foi a intensidade do jogo. Os treinos têm a mesma qualidade, mas nos jogos, a dinâmica é muito acima do que é praticada não só no Brasil, como na América do Sul. A qualidade dos jogadores faz a dinâmica ser maior. Todos os jogadores das 20 equipes são de qualidade, fazem um jogo mais rápido, de um ou dois toques. Tirando os times grandes da América do Sul, a maioria tem uma dificuldade nisso aí", analisou. 

A adaptação fora das quatro linhas surpreendeu Balbuena. "Foi até tranquilo, eu esperava ter mais dificuldades. Eu sabia o básico do idioma, mas no começo tive aula de inglês para poder me comunicar melhor. Quando eu cheguei aqui tinha vários jogadores que falavam espanhol, a comissão técnica também falava espanhol, então isso ajudou muito na questão esportiva. Porém, fora dos treinos, eu acho que custou um pouco mais para família, os filhos, para dirigir que é do outro lado. Não foi tão ruim como eu esperava. Conseguimos nos adaptar bem no começo e agora estamos desfrutando, estamos em uma grande cidade. Em Londres você tem uma tranquilidade muito grande, tem tudo perto e o pessoal do clube faz você se sentir à vontade, qualquer coisa que a gente precisa, eles estão aí para ajudar. A adaptação foi melhor com a ajuda deles", declarou.

A Premier League tem grande astros, como Kevin De Bruyne, Salah, Mané, Roberto Firminino, Sergio Agüero, Gabriel Jesus, entre outros. No entanto, a maior preocupação do zagueiro paraguaio não é com nenhum deles quando questionado qual é o jogador mais difícil de enfrentar. 

"Talvez, para mim, até hoje o cara que causou mais problema foi o Vardy, atacante do Leicester, pela movimentação que ele tem durante o jogo. Ele praticamente fica fora do campo de visão do defensor e isso torna chato o seu trabalho, você tem que se preocupar onde ele está se posicionando e também ficar ligado na direção da bola", justificou. 

Essa lista de craques no futebol inglês quase ganhou a companhia de Lionel Messi. O camisa 10 queria deixar o Barcelona e tinha o Manchester City como principal destino. No entanto, o clube espanhol não facilitou a transferência e o argentino optou por cumprir o seu último ano de contrato.

"Pessoalmente queria que o Messi viesse para a Premier League. Muitos falam que ele não sai do Barcelona, que ele está cômodo ali, que ele deveria fazer igual ao Cristiano Ronaldo para mostrar que ele pode fazer em outras ligas o que ele está fazendo na Espanha. Queria que ele viesse porque a gente sabe da qualidade dele. Pessoalmente, eu acho que ele é o melhor do mundo. Todo jogador quer jogar contra ele para sentir essa experiência", opinou Balbuena.

Corinthians

Durante a passagem pelo Corinthians, Balbuena ganhou três títulos: dois Paulistão (2017 e 2018) e um Campeonato Brasileiro (2017). O período com 136 jogos e 11 gols com a camisa alvinegra deixou boas recordações para o defensor. 

"A passagem que eu tive pelo clube foi muito boa, conquistei muitos títulos. No começo custou um pouco pela diferença entre o futebol do Brasil e do Paraguai, ainda mais em um grande clube como o Corinthians, a pressão, a responsabilidade que você tem quando joga. Conseguir títulos, fazer amizades, os momentos bons, os momentos ruins, que faz parte também do jogo, isso a gente leva para sempre. O carinho que o pessoal do clube e a torcida depositou em mim", relembrou.

Durante a entrevista intermediada pela Betway, o jogador paraguaio revelou que sempre recebe o carinho da Fiel. "Onde eu for, se tiver torcedor, eles demonstram carinho, esse agradecimento pela minha passagem. O jogador fica feliz porque significa que você fez o seu trabalho bem, isso é gratificante para o jogador."

Estádios vazios

A pandemia do novo coronavírus obrigou os jogadores a se acostumarem com as arquibancadas vazias. "É muito diferente tanto como jogar em casa ou fora. Quando tem torcida é melhor. As reações da torcida fazem falta. Nós sabemos da situação que o mundo está passando agora, vamos ter que nos adaptar. Na temporada passada terminamos jogando sem torcida, estamos nos adaptando. Tem muita diferença, parece mais jogo amistoso do que outra coisa, mas temos que nos adaptar. Temos que deixar isso de lado para focar no jogo e conseguir o resultado", afirmou Balbuena.

Copa do Mundo

Um dos grandes objetivos da carreira internacional de Balbuena é classificar a seleção do Paraguai para a Copa do Mundo do Qatar em 2022. A briga por uma das quatro vagas diretas para a competição começa em outubro. O país esteve ausente nas duas últimas edições do Mundial.

"A gente sabe que é possível, temos jogadores de muita qualidade jogando em várias ligas importantes. O trabalho da comissão técnica está refletindo resultados bons nos nossos jogos. Temos jogadores jovens, mas com experiência, isso nos dá confiança. Esperando que possa começar em outubro. Todo mundo quer jogar na seleção, ainda mais as Eliminatórias, as Sul-Americanas é uma das competitivas", analisou.

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade