PUBLICIDADE

Drogba revela desejo de seguir Lampard e jogar nos EUA

26 mai 2015 17h41
| atualizado às 17h47
ver comentários
Publicidade

Campeão Inglês pelo Chelsea, o atacante Didier Drogba anunciou que deixaria os Blues pouco antes da equipe entrar em campo diante do Sunderland, no último domingo, em jogo que renderia o título do campeonato ao clube. Após a partida, no entanto, o marfinense revelou ter sido procurado por diversos clubes e se mostrou inclinado a seguir o antigo companheiro Frank Lampard e disputar uma temporada na Major League Soccer (MLS), nos Estados Unidos.

"Assim que me conectei às redes sociais, ainda no vestiário, comecei a receber ligações de vários times. Foi bem incomum", contou o jogador. "Mas foi engraçado e interessante, porque isso mostrou que talvez eu ainda consiga ser útil a algum clube", acrescentou Drogba, que já tinha o plano de jogar mais uma temporada por outro time.

Drogba se despediu mais uma vez do Chelsea
Drogba se despediu mais uma vez do Chelsea
Foto: Michael Regan / Getty Images

Questionado sobre as sondagens para atuar nos Estados Unidos, o atleta não desmentiu a possibilidade de ir para o continente americano. "Se eu gostaria de me juntar ao Frank (Lampard) nos Estados Unidos? Claro que sim. Mas preciso tirar algumas semanas para pensar no que vem a seguir. Tudo o que quero fazer é jogar futebol", explicou.

O jogador também desmentiu boatos de que estaria negociando sua transferência para outro clube da Inglaterra. "Eu jamais jogaria por outro clube inglês. Existem ótimos times no Campeonato Inglês, mas jamais dedicaria todo o amor que eu tenho pelo Chelsea a outra equipe".

Antes de anunciar sua saída, Drogba já havia dito que, se retornasse a Stamford Bridge, seria para realizar outra função que não a de jogador. Com 37 anos, o atacante foi carregado pelos colegas ao fim da vitória sobre o Sunderland por 3 a 1 e, emocionado, afirmou que ainda encontrará uma maneira de trabalhar novamente no Chelsea.

"Acho que encontraremos uma maneira que seja boa para mim e para o clube. Se eu voltar, será por uma razão. Nunca fui carregado desta maneira. Isso só mostra o espírito de equipe que temos aqui", concluiu.

Dirigente toma tombo feio ao entregar troféu na Austrália:

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade