PUBLICIDADE

Depressão e volta por cima: "véinha" Cristiane faz história

9 jun 2019 13h33
ver comentários
Publicidade
Foto: Emmanuel Foudrot / Reuters

A falta de resultados positivos, cobrança excessiva e a ausência de Marta logo na estreia do Mundial feminino de futebol: foram muitos os obstáculos da Seleção Brasileira para a partida contra a Jamaica neste domingo, em Grenoble, na França. Mas a atacante Cristiane mostrou mais uma vez o seu valor, fez os três gols na vitória por 3 a 0, e entrou de vez na história da equipe verde e amarela.

A camisa 11 se tornou a primeira mulher a marcar dois gols em três edições de Copa do Mundo diferentes e virou a mais velha a fazer um hat-trick - com 34 anos e 25 dias, superando o recorde da norte-americana Carli Lloyd, que tinha 32 anos e 355 dias quando fez três no Japão em 2015. Com os gols, se tornou a segunda maior goleadora brasileira em Mundiais com 10 gols, ultrapassando Sissi, com sete - Marta tem 15.

"Estou muito emocionada. Não sabia desses números, foi uma vitória muito pessoal. Entrei com o objetivo de ajudar, dar a volta por cima com a equipe e não imaginava isso tudo. Foi um recomeço e estou feliz demais de representar todas as meninas que estão no Brasil sonhando com o futebol feminino", disse Cristiane, bastante emocionada. 

Recuperada de seguidas lesões que atrapalharam a sua carreira nos últimos anos, a atleta do São Paulo recentemente revelou que sofreu de depressão após a queda da Seleção nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Convivendo com uma incômoda lesão na coxa direita, Cristiane voltou ao time apenas na semifinal, mas perdeu uma das cobranças de pênaltis contra a Suíça, que acabaram custando a eliminação verde e amarelo. 

"Estou muito feliz, vocês não têm ideia. Quem me conhece sabe da dificuldade que eu tive, pra me recuperar das lesões. Deu o máximo que eu podia contribuir, hoje sou eu, amanhã é outra menina (que vai decidir) e é assim que tem que ser", disse a camisa 11, que acredita que o 3 a 0 na estreia aumenta a confiança do grupo. 

"A confiança é muito grande, deixamos bem claro que o passado ficou atrás. Sabemos dos erros que cometemos, não somos bobos de esconder o que aconteceu. Temos que ficar espertos, não dá para bobear. Copa do Mundo é um jogo diferente do outro. As outras seleções estão muito bem preparadas".

Substituída ao longo da partida, Cristiane fez compressa de gelo imediatamente na panturrilha esquerda, mas tratou de tranquilizar a torcida e brincar com a idade. "Tem que cuidar (risos). É muito bacana o cuidado que eles (comissão técnica) têm comigo. Então tem que cuidar da véinha", finalizou.

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade