PUBLICIDADE

Cruzeiro é denunciado no STJD por ato racista de torcedor

Caso aconteceu no dia 28 de outubro, no Independência, em Belo Horizonte, pela Série B; time mineiro poderá jogar com portões fechados

17 nov 2021 15h51
| atualizado às 15h57
ver comentários
Publicidade

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) denunciou nesta quarta-feira o Cruzeiro por conta de um ato racista de um torcedor contra o atacante Jefferson, do Remo, em jogo disputado no dia 28 de outubro, no estádio Independência, em Belo Horizonte. O clube mineiro pode ser punido com multa e ser obrigado a jogar com portões fechados.

Jefferson recebeu ofensas discriminatórias ao comemorar o segundo gol do Remo, marcado por ele, na vitória por 3 a 1 sobre a equipe mineira. Um torcedor xingou o atleta "macaco" e "gorila". A direção do Remo se manifestou após o jogo e avisou que iria fazer uma denúncia junto à CBF.

Jefferson, do Remo, foi vítima de injúria racial de torcedor do Cruzeiro. Além de multa, time mineiro pode ter que jogar com portões fechados
Jefferson, do Remo, foi vítima de injúria racial de torcedor do Cruzeiro. Além de multa, time mineiro pode ter que jogar com portões fechados
Foto: Twitter/Clube do Remo / Estadão

O Cruzeiro lamentou o episódio em post em suas redes sociais. "O que aconteceu com o atleta Jefferson do Remo foi, é, e sempre será, inaceitável. Pedimos sinceras desculpas aos dois por acontecer em nossas dependências. Tomaremos todas as medidas que estiverem ao nosso alcance para identificar o agressor e continuaremos lutando para que isso jamais se repita no futebol e/ou em qualquer outro lugar", registrou o time mineiro.

Mas o clube não escapou da denúncia no STJD. O Cruzeiro foi enquadrado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência".

O Cruzeiro corre o risco de receber suspensão de 120 a 360 dias, além de multa, que pode variar de R$ 100 a R$ 100 mil. A procuradoria pediu ainda a suspensão preventiva do time com base no artigo 35 para que o clube mande seus jogos com portões fechados e não tenha direito a carga de ingressos nos jogos como visitante.

O caso será julgado pelo STJD na próxima terça, dia 23. Na mesma audiência, será julgado o atacante Vitor Leque, também do Cruzeiro, por conta de xingamentos relatados na súmula do jogo. Após ser expulso, ele teria ofensivo o quarto árbitro. "Vocês são moleques, vieram aqui para nos prejudicar, seus m*", disse o jogador, de acordo com a súmula. Ele pode ser suspenso por até seis jogos e receber multa de até R$ 100 mil.

Aquele jogo também rendeu uma denúncia ao técnico Felipe Conceição, do Remo. Ele foi enquadrado no artigo 258, inciso II do CBJD, "por reclamar de forma desrespeitosa contra as decisões da arbitragem" e poderá receber uma suspensão de até seis jogos.

Estadão
Publicidade
Publicidade