PUBLICIDADE

Blatter critica excesso de faltas na final, mas poupa árbitro

12 jul 2010 10h31
| atualizado às 10h42
Publicidade

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, reclamou nesta segunda-feira da violência dos jogadores durante a final da Copa do Mundo entre Espanha e Holanda, mas evitou criticar a atuação do inglês Howard Webb, responsável pela arbitragem da partida disputada no domingo.

"O Mundial se destacou no aspecto do fair play, mas o jogo de ontem não foi o que esperávamos nesse aspecto", afirmou. No entanto, quando questionado se o árbitro deveria ter sido mais rigoroso, o suíço despistou.

"Não sou eu que tem que julgar. Só posso dizer que foi um difícil desafio para o árbitro. Realmente não foi nada fácil. Não se ajudou muito o trabalho deles", disse.

No dia seguinte ao fim do Mundial, Blatter voltou a encarar perguntas sobre os erros de arbitragem, especialmente quanto ao gol do inglês Frank Lampard nas oitavas de final contra a Alemanha (a bola passou da linha, mas o lance não foi validado).

"É o aspecto humano do jogo. Se houvesse como controlar a partida de modo científico, não haveria o debate e vocês não estariam fazendo estas perguntas. É preciso aceitar os erros dos humanos, os erros da arbitragem", defendeu Blatter.

Apesar disso, o presidente da Fifa reiterou que o Comitê Executivo da entidade discutirá ainda neste ano a adoção da tecnologia no futebol, porém apenas para casos justamente como o de Lampard (saber se a bola passou ou não da linha).

Presidente da Fifa lamenta falta de fair play na decisão da Copa
Presidente da Fifa lamenta falta de fair play na decisão da Copa
Foto: EFE
Fonte: Terra
Publicidade