PUBLICIDADE

Com dois gols cada, Lukaku e Hazard igualam um dos "feitos" do 7 a 1

23 jun 2018 12h02
| atualizado às 14h21
ver comentários
Publicidade

O fatídico 7 a 1 que marcou a Copa do Mundo de 2014 voltou a tona neste sábado, em solo russo, não pelo resultado, mas pelos resquícios que a goleada deixou nas estatísticas e curiosidades da história dos Mundiais. Na vitória da Bélgica por 5 a 2 sobre a Tunísia, Lukaku e Hazard saíram de campo com dois gols cada, algo que não acontecia desde aquele dia 8 de julho, no Mineirão, quando Schurrle e Kross fizeram o mesmo.

A segunda vitória belga na Rússia começou a ser construída logo aos cinco minutos, com Hazard. Dez minutos depois, Lukaku fez um de seus dois gols que o colocam ao lado de Cristiano Ronaldo na disputa pela artilharia da competição. Aos 48 minutos, ainda da primeira etapa, o atacante do Manchester United deixou mais um tento. Coube ao camisa 10 e capitão, enfim, concretizar o feito histórico aos cinco minutos do segundo tempo.

O feito, apesar de difícil, não é inédito e nem se resume a apenas essas duas partidas. A própria Seleção Brasileira já conseguiu a marca de ter dois jogadores com dois gols cada na mesma partida. Em 1998, na França, Ronaldo e César Sampaio marcaram os tentos da vitória sobre o Chile, pela fase oitavas de final. No mesmo torneio, aliás, a Argentina conseguiu algo ainda maior. No duelo contra a Jamaica, Ortega marcou dois, enquanto Batistuta fez três.

Para efeito histórico, esse feito foi realizado uma outra vez, também pela Copa de 2014, mas com a seleção da Holanda. Ainda pela fase de grupos, na goleada por 5 a 1 sobre a Espanha, Arjen Robben e Van Persie marcaram dois gols cada. Um dos tentos do atacante, aliás, ficou marcado pela plasticidade, com um peixinho de fora da área que encobriu Casillas.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade