PUBLICIDADE
Logo do Flamengo

Flamengo

Favoritar Time

Gabigol é suspenso por dois anos por infração em antidoping

Em julgamento, ele foi acusado de violar o artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem; o Flamengo saiu em defesa de Gabigol

25 mar 2024 - 17h01
(atualizado às 20h19)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Gabigol foi acusado e julgado por fraude ou tentativa de fraude no processo de controle antidoping, tendo sido condenado a uma pena de dois anos de suspensão, por 5 votos a favor e 4 contra. O Flamengo saiu em defesa do jogador.
Jogador do Flamengo Gabigol
Jogador do Flamengo Gabigol
Foto: Flamengo / Divulgação

Após julgamento por fraude ou tentativa de fraude em parte do processo de controle antidoping, o jogador do Flamengo Gabigol foi suspenso por dois anos. Ele foi acusado de violar o artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem (CBA), sujeito a uma pena máxima de quatro anos de suspensão. A decisão foi tomada por uma margem apertada, com 5 votos a favor e 4 contra. As informações são do jornal Extra.

O Flamengo saiu em defesa de Gabigol. O clube afirma que atuará junto ao atacante nos próximos passos, segundo o Lance. "O Clube de Regatas do Flamengo [...] vem a público dizer que recebeu com surpresa a referida decisão e que auxiliará o atleta na apresentação de recurso à Corte Arbitral do Esporte (CAS), uma vez que entende que não houve qualquer tipo de fraude, nem mesmo tentativa, a justificar a punição aplicada", disse o clube, em nota.

O julgamento ocorreu de forma remota, com Gabigol sendo representado pelo advogado Bichara Neto. Daniel Chierighini Barbosa, auditor do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD/AD), atuou como relator no caso. A pena começará a ser contada a partir de 8 de abril de 2023, data em que ocorreu a coleta de amostras no centro de treinamento do clube.

O julgamento teve início na segunda-feira passada, 18, e durou cerca de cinco horas, sendo interrompido devido à indisponibilidade de alguns auditores. O processo foi retomado nesta segunda-feira, às 14h, para as "alegações finais" e votação dos nove membros do Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem. 

A acusação alega que Gabigol tentou deliberadamente obstruir o controle antidoping conduzido pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), além de atrasar as coletas de sangue e urina, que foram realizadas de forma inesperada no centro de treinamento do clube em 8 de abril.

O processo diz que Gabigol tentou ocultar sua genitália enquanto urinava no recipiente e agiu de forma agressiva com os oficiais encarregados do exame.  

O  jogador também se negou a realizar a coleta de sangue assim que chegou ao treino. Enquanto outros atletas já estavam posicionados na estação de coleta, prontos para o exame, quando os oficiais chegaram, Gabigol foi o único que não se submeteu ao procedimento antes do treino.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade