PUBLICIDADE
Logo do

Flamengo

Meu time

Em alta com Renato, Ramon carrega status de 'amuleto' do Flamengo em semana decisiva

Invicto na Libertadores, lateral-esquerdo conta com a confiança de Renato Gaúcho, que foi o técnico que mais o escalou nos profissionais do Rubro-Negro

22 nov 2021 10h15
| atualizado às 10h15
ver comentários
Publicidade

O Flamengo terá o jogo contra o Grêmio, nesta terça, como a despedida definitiva antes de decidir a final da Libertadores. E, no ano de sua afirmação, Ramon pode seguir como um amuleto nesta semana decisiva. Isso porque, o jovem lateral está invicto no torneio continental.

Ramon, de 20 anos, é uma das principais joias do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Ramon, de 20 anos, é uma das principais joias do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Foto: Lance!

Ao todo, Ramon soma 35 jogos em sua carreira profissional. Desses, sete foram em Libertadores, e os números são de se respeitar e dar esperança aos torcedores supersticiosos: cinco vitórias e dois empates, ou seja, o Fla ainda não foi derrotado enquanto esteve em campo. Veja o histórico:

- Barcelona-EQU 1x2 Flamengo - Fase de grupo da Libertadores de 2020 (jogou por 15')

- Flamengo 4x0 Independiente del Valle - Fase de grupo da Libertadores de 2020 (jogou por 90')

- Flamengo 3x1 Junior Barranquilla - Fase de grupo da Libertadores de 2020 (jogou por 10')

- Unión la Calera 2x2 Flamengo - Fase de grupo da Libertadores de 2021 (entrou e jogou por 7')

- Flamengo 2x2 LDU - Fase de grupo da Libertadores de 2021 (jogou por 45')

- Olimpia 1x4 Flamengo - Quartas de final da Libertadores de 2021 (jogou por 33')

- Flamengo 5x1 Olimpia - Quartas de final da Libertadores de 2021 (jogou por 20')

Ramon deve parte de sua atual ascensão a Renato Gaúcho, pois foi quem mais o colocou pra jogar (14 vezes). O lateral conta com a confiança e boas impressões do técnico desde a primeira semana de treinos. A título de curiosidade, Maurício Souza o comandou em oito jogos, o mesmo número de Domènec Torrent. Rogério Ceni e Paulo César Carpegiani, em dois jogos.

Contra o Grêmio, é possível que Ramon atue, enquanto Filipe Luís mantém a minutagem à risca às vésperas da final da Libertadores - tanto que o camisa 16, estafado, pediu para sair nos minutos finais do jogo passado e deu lugar à joia.

O fato é que Ramon pode ser considerado um amuleto, e será importante Renato Gaúcho mantê-lo com ritmo de jogo para uma eventual participação na final da Libertadores.

Lance!
Publicidade
Publicidade