PUBLICIDADE

Botafogo destruiu vantagem e ainda deixou o Flamengo chegar

Além de não conseguir retomar liderança em jogo atrasado, alvinegro agora enxerga vários concorrentes no retrovisor

24 nov 2023 - 10h01
Compartilhar
Exibir comentários
Tiquinho Soares lamenta empate do Botafogo em Fortaleza
Tiquinho Soares lamenta empate do Botafogo em Fortaleza
Foto: Caio Rocha/iShoot/Gazeta Press

Para um time que fez o melhor primeiro turno da história dos pontos corridos, com 13 pontos de vantagem para o vice-líder, só uma proeza digna de filme levaria à derrocada como a que o Botafogo experimentou na segunda metade do Campeonato Brasileiro. Agora, a quatro rodadas do fim, não só perdeu a liderança para o Palmeiras, como sente a pressão de pelo menos três novos concorrentes ao título.

Um deles, quem diria, o rival rubro-negro. O time que terminou o primeiro turno a 15 pontos do topo da tabela se vê a uma vitória (e consequentes tropeços dos adversários) do primeiro lugar, com apenas um ponto a menos que o Botafogo. O que parecia inimaginável após uma temporada cheia de reveses e decepções, aconteceu: deixaram o Flamengo chegar, de novo.

Com a vitória sobre o Red Bull Bragantino no Maracanã, o clube da Gávea encontra-se na mesma condição das campanhas de recuperação que levaram aos títulos improváveis de 2009 e 2020, a dois pontos do líder na 34ª rodada. Em suas últimas cinco vitórias no campeonato, incluindo o 3 a 0 sobre o Palmeiras, o Flamengo não sofreu gols, sinal da rápida evolução do sistema defensivo sob o comando de Tite.

Enquanto isso, o Botafogo mantém a incontinência de sua defesa, que perdeu até mesmo o status de menos vazada da competição. Sofreu incríveis 78 finalizações nos últimos cinco jogos – quase 16 por partida, em média – e imperdoáveis 13 gols, com duas viradas de 4 a 3, para Palmeiras e Grêmio, no pacote.

Na estreia de Tiago Nunes, quinto técnico da equipe em 2023, o alvinegro permitiu que o Fortaleza finalizasse 15 vezes contra a meta de Lucas Perri. Precisou buscar o empate em duas oportunidades, contando com a generosa colaboração de Brítez, em gol contra no primeiro tempo. A zaga formada por Adryelson e Victor Cuesta, antes praticamente impenetrável, se mostra cada vez mais desprotegida e exposta a contragolpes em velocidade dos adversários.

Por outro lado, as defesas têm sido o trunfo dos principais concorrentes ao título. Além do Flamengo, que se defende melhor com Tite, Palmeiras e Bragantino estão entre os times que menos sofrem gols no campeonato (30) – só perdem para o Atlético-MG (27) nesse quesito. A exceção é o Grêmio, que tem a quarta pior defesa, com 50 gols sofridos, mas mesmo assim segue a três pontos da liderança.

Com campanha de rebaixado no segundo turno e parcos 31% de aproveitamento, o Botafogo já sofreu o dobro de gols em comparação com toda a primeira metade do Brasileiro. Sim, ainda faltam quatro jogos. No entanto, o gás do time, que não vence há sete rodadas, parece ter se esgotado. Não depende mais das próprias forças para ser campeão e, no pior dos cenários, ainda tem chances de perder a vaga na Libertadores do ano que vem, sem contar a de entregar o título de bandeja para o maior rival.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade