PUBLICIDADE
Logo do

Botafogo

Meu time

Rafael Moura cita Heleno: "Não é lugar para covardes"

Atacante pode ser importante para a retenção de bola e melhora do sistema ofensivo do Botafogo

8 jun 2021 06h02
| atualizado às 07h41
ver comentários
Publicidade
Rafael Moura com a camisa do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Rafael Moura com a camisa do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

"Ele (Heleno) tem frases memoráveis, que não era jogador de futebol, era jogador do Botafogo e que aqui não era lugar para covardes. Era uma liderança, fora os grandes lances que fez": foi desta forma que Rafael Moura chegou ao Botafogo. O atacante, apresentado como reforço do Alvinegro, havia revelado na semana passada um parentesco com Heleno de Freitas, ídolo do clube.

O He-Man, mesmo em pouco tempo, já mostrou que entendeu o DNA alvinegro que possui. A promessa de efeito, contudo, não está apenas no sentido das frases ditas: Rafael Moura, mesmo aos 38 anos, chega com um cenário para agregar ao dia a dia do clube de General Severiano.

O atacante foi um pedido da própria comissão técnica do Botafogo, que pediu um atacante alto e com bom aproveitamento no jogo aéreo. No último Brasileirão, Rafael Moura teve 53% de aproveitamento nos duelos aéreos - tanto ofensivos quanto defensivos - que disputou, de acordo com números do site "SofaScore".

Apesar do 1,89 m de altura, Rafael Moura não fica limitado a uma posição estática dentro de campo, como o mapa de calor no último Brasileirão (imagem abaixo) indica. O atleta busca espaços, sai da área - principalmente para oferecer opções de pivô - e recompõe do jeito que a forma física lhe permite.

 

(Foto: Reprodução/Sofascore)
(Foto: Reprodução/Sofascore)
Foto: Lance!

 

O pivô de Rafael Moura, claro, será de bom-grado. O próprio jogador afirmou que o jogo físico poderá agregar às transições do Botafogo, principalmente no sentido de segurar a bola para a chegada ou corrida de algum outro jogador em velocidade pelas pontas.

"Os meninos jogaram muito bem contra o Coritiba, o Chay fez uma belíssima partida, Navarro, Marco Antônio... Todos estão cientes que precisa ter um pouco mais de calma nessa transição. Não adianta roubar a bola e perder logo em seguida. O início da transição será com os volantes e os laterais me procurando para eu segurar a bola, isso vai ser importante e podemos tirar proveito disso. Quem joga perto de mim é muito rápido e inteligente", afirmou.

Mentor

Em um elenco que possui uma faixa etária na média de 24,9 anos, Rafael Moura também chega para ser um expoente de experiência. O atacante, durante a entrevista de apresentação, negou o rótulo de que assinou com o Alvinegro apenas "para de aposentar" e admitiu que não gosta de perder.

Os dois companheiros de posição de Rafael Moura serão Matheus Nascimento, de 17 anos, e Rafael Navarro, 21. Os dois somados dão a idade do He-Man, que entendeu que, além do papel dentro de campo, também terá uma importância para os jovens atletas fora das quatro linhas.

 

Rafael Moura treinando (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Rafael Moura treinando (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

 

"Tenho essa responsabilidade pela experiência e liderança de ajudar os mais jovens. Eles têm grandes qualidades, precisam da maturidade, mas são extraclasses. O que eu puder ajudar em treinamento, puxar fila, demonstrar algum gesto técnico, conversa no dia-a-dia, vai ser importante para eles, assim como eu tive nomes no meu início que me ajudaram muito. Sou muito do treinamento, às vezes o exemplo é melhor na prática do que o dito somente com palavras. O maior exemplo é minha dedicação nos treinamentos e jogos para eles verem o quão necessário é ter esse tipo de atitude", comentou.

Fora e dentro de campo, a expectativa é que Rafael Moura chegue para agregar no Botafogo. O 'He-Man', claro, terá a missão de ser um dos líderes da equipe na busca pelo retorno à elite nacional.

Lance!
Publicidade
Publicidade