PUBLICIDADE

Paul George: "Suns está em outro nível comparado a Mavs e Jazz"

Para astro do Clippers, equipe angelina ainda precisa descobrir ajustes para enfrentar um time superior do que adversários anteriores

22 jun 2021 10h53
| atualizado às 21h32
ver comentários
Publicidade

O Los Angeles Clippers chegou às finais do Oeste pela primeira vez após uma jornada de adversidades, começando as séries contra Dallas Mavericks e Utah Jazz com dois reveses seguidos. No entanto, um dos astros da equipe acredita que esses dois duelos não se equiparam ao desafio que enfrentam agora, no caminho da decisão do título da NBA. Paul George acredita que o Phoenix Suns é uma equipe que mostra um nível de jogo superior em relação a qualquer outro adversário dos angelinos no mata-mata.

Paul George, ala do Clippers
Paul George, ala do Clippers
Foto: Adam Pantozzi/AFP / Jumper Brasil

"O Suns está em outro nível comparado aos times que enfrentamos nos playoffs. É um calibre diferente. Tem mais força no jogo de armação e vamos precisar responder isso. Será necessário outro plano de ação. Esse começo de série, então, foi uma boa partida para ver os ajustes a serem feitos. Temos sido ótimos adaptando-se até o momento e crescemos com o decorrer dos confrontos", avaliou o experiente ala, em entrevista à ESPN antes da segunda partida da série melhor-de-sete.

A vitória do Suns no primeiro jogo da série passou, essencialmente, pela performance extraordinária de Devin Booker. O ala-armador teve uma das melhores atuações da carreira e anotou o primeiro triplo-duplo de sua carreira no jogo 1 diante do Clippers: foram 40 pontos, 13 rebotes e 11 assistências, enquanto cometeu só dois erros de ataque. Para Reggie Jackson, o jovem astro representa um oponente muito diferente dos craques que enfrentaram anteriormente nos playoffs.

"Devin é o pacote completo. Jogou com a bola nas mãos, mas também faz um grande trabalho sem a posse enquanto aproveitando bloqueios fora da bola para ficar livre. E isso sem contar que é realmente bom na criação em média distância. Luka Doncic e Donovan Mitchell são mais orientados para os tiros de longa distância e infiltrações, mas Devin exige mais cuidado ao ser pressionado por seu estilo diferente", explicou o armador, um dos destaques da campanha da equipe na pós-temporada.

Perder as duas primeiras partidas das séries está virando uma marca do Clippers, mas não é momento de contar com isso agora: os angelinos, na verdade, já se tornaram o único time da história a conseguir recuperar-se e vencer dois duelos em uma mesma pós-temporada depois de sair perdendo por 2 a 0. É evidente que George não deseja sempre sair atrás em confrontos de playoffs para buscar reagir, mas, no caso de sua equipe, vê isso como uma espécie de "reconhecimento de terreno".

"Não tenham dúvidas de que pode-se esperar melhorias da nossa parte a cada jogo da série. Nós temos sido ótimos nisso. Essa primeira derrota, definitivamente, não é uma razão para pânico no momento. Estamos sem Kawhi Leonard, Marcus Morris sofreu algo agora também. Chris Paul também está fora, obviamente, mas estamos em um duelo de ajustes e sempre descobrimos o que precisamos fazer ao longo das séries", garantiu o astro, confiante em mais uma virada rumo à decisão do título.

Jumper Brasil
Publicidade
Publicidade