PUBLICIDADE

Basquete

Edição de 2023 do NBB registra maior número de argentinos em toda a história do torneio

27 nov 2023 - 14h46
Compartilhar
Exibir comentários

A atual edição do NBB registra o maior número de argentinos em toda a história da competição. O torneio, que teve seu início em outubro, possui ao todo 18 atletas que vieram da Argentina confirmados. Nunca em todas as 16 edições do campeonato foram registrados tantos jogadores do país vizinho.

Foto: Marília (SP) – Bauru e Flamengo se enfrentam no segundo duelo da final do NBB7. ©Luiz Pires/LNB / Gazeta Esportiva

Um dos símbolos dessa migração é Franco Balbi, do Flamengo. O armador de 34 anos já passou pelo NBB entre as temporadas 2018 e 2022, quando também defendeu o clube carioca e marcou época na elite do basquete brasileiro.

No rubro-negro, conquistou todos os títulos possíveis como jogador, incluindo dois NBB, duas Copa Super 8, uma Champions League das Américas (BCLA) e o título intercontinental. No momento, o argentino é o líder da competição em bolas recuperadas (2,1 por jogo) e é o segundo em assistências (7,4 por jogo).

Outro argentino que tem feito bastante sucesso no Brasil é Santiago Scala. O armador de 32 anos chegou ao Franca em 2020/21 e, desde então, vem empilhando títulos com a equipe do interior paulista. Em apenas duas temporadas, Scala já conquistou dois NBB, a BCLA, a Copa Intercontinental, o Super 8 e o Campeonato Paulista.

Quem parece que vai seguir os passos dos conterrâneos é o também armador Franco Baralle, do Minas Tênis Clube. Em sua primeira temporada no Brasil, o atleta já se firmou como o maestro da equipe, que no momento está na liderança da competição. Baralle explicou por que trocou seu país pelo Brasil.

"A principal diferença entre as duas ligas é a parte física e atlética, que é muito mais valorizada no NBB, enquanto a Liga Argentina valoriza muito mais a parte tática. Ambas as ligas jogam um ótimo basquetebol, mas o que mais me motivou foi que hoje o Brasil se encontra um escalão acima. Queria esse desafio de sair do meu país pela primeira vez. Chegar a um clube como o Minas com toda a certeza foi uma grande motivação", comentou o jogador.

Outro destaque é Diego Figueredo, que chegou à liga em 2019. O armador do São josé comemorou a vinda de argentinos para a liga do Brasil.

"É ótimo ter cada vez mais argentinos no NBB. Isso fala muito bem da escola de basquete argentino, principalmente no que diz respeito à posição de armador. Penso que esse movimento se deve ao nosso estilo de jogo e nossa cultura desportiva, que é incentivada desde criança. Quando cheguei ao NBB, em 2019, procurava abrir portas para novas oportunidades e desde então minha prioridade sempre foi o Brasil. Me deparei com uma liga muito competitiva, hoje em dia uma das melhores da América. Acredito que todos os argentinos que já chegaram e ainda chegarão ao NBB sabem que a liga é de alto nível. Essa competitividade nos permite darmos um passo de qualidade e continuar nos desenvolvendo", disse Figueredo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Publicidade