PUBLICIDADE

Sainz define carro da McLaren como "um dos mais difíceis de ultrapassar" após Silverstone

Depois de guerrear com Daniel Ricciardo em Silverstone pela quinta posição, Carlos Sainz chegou a uma conclusão: o MCL35M é "um dos carros mais difíceis" de ultrapassar nesta temporada

25 jul 2021 04h17
ver comentários
Publicidade
Carlos Sainz terminou o GP da Inglaterra em sexto, mas sentiu que poderia ter ido ao pódio
Carlos Sainz terminou o GP da Inglaterra em sexto, mas sentiu que poderia ter ido ao pódio
Foto: Ferrari / Grande Prêmio

A Ferrari já está focada em 2022, mas isso não impediu Carlos Sainz de travar uma batalha dura com Daniel Ricciardo no último fim de semana, no GP da Inglaterra. O piloto, que além de não ter conseguido bater o australiano, já fez parte da equipe de Woking, não conseguiu negar o excelente desempenho da McLaren em linha reta, auxiliado pela mudança para o motor Mercedes neste ano de 2021.

"Infelizmente, já aconteceu comigo algumas vezes que fiquei atrás de uma McLaren que não consigo passar", disse Sainz, depois de terminar em sexto em Silverstone. "Não é novidade, eles têm uma velocidade em linha reta muito boa, um ritmo muito forte e potência na saída das curvas. É provavelmente um dos carros mais difíceis de ultrapassar", completou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Carlos Sainz avaliou que poderia ter alcançado um resultado melhor em Silverstone
Carlos Sainz avaliou que poderia ter alcançado um resultado melhor em Silverstone
Foto: Ferrari / Grande Prêmio

Sainz ficou frustrado depois que um overcut precoce em Ricciardo não funcionou devido a uma péssima parada da Ferrari, que deixou o espanhol nos boxes por mais de dez segundos enquanto sua roda dianteira esquerda era trocada. Por isso, o dono do carro #55 ficou atrás do de número #3 até o final da prova.

"Sim, infelizmente estivemos um passo atrás de Ricciardo durante toda a corrida", acrescentou. "Primeiro no meio, depois conseguimos ultrapassá-lo com um ritmo muito forte durante as voltas mais limpas, mas infelizmente depois do lento pit-stop tive de ir atrás dele novamente."

"Com o pneu duro foi ainda mais difícil ultrapassá-lo, porque parecia que esse composto em alta velocidade não aguentava a carga do ar sujo. Eu estava saindo de traseira e não consegui acompanhá-lo. Mesmo tendo DRS, não era próximo o suficiente para tentar pegá-lo", concluiu.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade