GP às 10: Red Bull praticamente repete carro e dá recado claro: foco está no motor

A Red Bull apresentou o RB16B, que basicamente é uma continuação do RB16. O recado está claro: a aposta é no motor Honda e há um cuidado para não prejudicar o entrosamento entre as partes visando o momento em que a própria equipe vai fornecer seus motores. Gabriel Curty avalia as perspectivas da equipe para a temporada 2021 e além na Fórmula 1 no GP às 10

24 fev 2021
10h00 atualizado às 10h06
0comentários
10h00 atualizado às 10h06
Publicidade
O carro andou na pista seca, sim, mas também enfrentou a pista molhada. Afinal, é a Inglaterra
O carro andou na pista seca, sim, mas também enfrentou a pista molhada. Afinal, é a Inglaterra
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

A semana teve um dos lançamentos de carros mais esperados do ano: a Red Bull mostrou ao mundo o RB16B. No entanto, sem um evento propriamente dito, foi apenas uma revelação tímida de como será o novo bólido da equipe, que é basicamente o mesmo de 2020. No GP às 10 desta quarta-feira (24), Gabriel Curty busca explicar os motivos para que isso tenha acontecido.

Segundo o jornalista, o lançamento tímido está intimamente ligado ao fato de que praticamente não há nada de novo no carro. E que a falta de novidades no bólido se explica de forma simples: a Red Bull, sempre muito ousada, agora optou por um lado um pouco mais conservador, apostando na evolução do motor Honda.

Mais do que isso, a equipe entende que não pode arriscar muito pela chance de perder o ajuste fino com o motor japonês justamente na despedida da parceria e migração para uma fase em que a própria Red Bull vai fornecer suas unidades de potência, tudo isso a partir da tecnologia deixada pelos japoneses em 2021.

Assista já ao GP às 10 desta quarta-feira e opine: a Red Bull pode superar a Mercedes? Quando?

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade