PUBLICIDADE

Ferrari projeta treino de 'mil pit-stops' para bater Red Bull na Fórmula 1 2023

Pit-stops desastrosos como em 2022? Pois a Ferrari está determinada a deixar o fiasco do ano passado para trás, tanto que colocou os mecânicos numa sessão exaustiva de treinos com o intuito de realizar as trocas de pneus em menos de 3s

29 jan 2023 - 14h19
Compartilhar
Exibir comentários
A Ferrari teve várias dificuldades ao longo de 2022
A Ferrari teve várias dificuldades ao longo de 2022
Foto: Ferrari / Grande Prêmio

A temporada 2022 da Ferrari na Fórmula 1 foi marcada por erros dos mais variados, tanto do time quanto dos pilotos, mas algumas patacoadas vistas durante os pit-stops impressionaram. Acontece que a equipe italiana está determinada a deixar o fiasco visto no ano passado para trás e tem ciência de que, para isso acontecer, precisa treinar exaustivamente para melhorar cada detalhe.

A escuderia do cavalinho rampante, aliás, está levando tão a sério isso que estabeleceu uma meta de realizar nada menos do que mil pit-stops antes da abertura do Mundial, no dia 5 de março, no Bahrein. A informação foi revelada pela versão italiana do site Motorsport.com.

Relacionadas

Alonso destaca energia e motivação da Aston Martin: "Atmosfera muito especial"
Comissão de Ética vê plágio "inequívoco e recorrente" ao GRANDE PRÊMIO e pune jornalistas do Estadão
Do choro de Hamilton ao 'migué' de Wolff. Isso muda na F1 2023? | WGP

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A Ferrari está mesmo determinada a deixar os erros para trás
A Ferrari está mesmo determinada a deixar os erros para trás
Foto: AFP / Grande Prêmio

Todo esse esforço é também uma das estratégias que a Ferrari pretende adotar para bater a rival Red Bull, conhecida por ser uma das mais rápidas nas trocas de pneus nos boxes. Ainda que não tenha como objetivo ser a mais veloz do grid nesse quesito, a escuderia espera ter ao longo de toda a temporada pit-stops feitos em menos de 3s.

Segundo a publicação, o time agora chefiado por Frédéric Vasseur montou um 'teatro operacional' em Maranello, no prédio ao lado da pista de Fiorano. Duas equipes de mecânicos treinam 20 paradas três vezes por semana — o que dá um total de, aproximadamente, 240 pit-stops em um único mês. O Motorsport não informa quando a Ferrari começou essa rotina de treinos, mas entende-se que, até o início de março, a equipe tenha praticado mil paradas. Isso significa que os italianos ensaiam as trocas desde o final de outubro.

O carro usado nos ensaios é a SF-71, modelo da temporada 2018. Em 2022, a Ferrari alcançou 73% de paradas com tempos inferiores a 3s — longe da meta de 80%. Para este ano, o time subiu o sarrafo e quer realizar, no mínimo, 84% dos pit-stops na casa dos 2s.

Outro detalhe importante que o time de Carlos Sainz e Charles Leclerc pretende levar para as corridas é ter não uma, mas duas equipes capacitadas para realizar as trocas, com os 'reservas' tão preparados quanto os 'titulares' para o caso de algum imprevisto.

Em 2022, duas situações em especial envolveram problemas nas paradas dos pilotos da Ferrari. A primeira foi o desastroso pit-stop duplo em Mônaco, que tirou Leclerc — àquela altura ainda com chances reais de título — do pódio.

A segunda aconteceu na Holanda e envolveu Sainz: na primeira parada do espanhol, terceiro colocado da corrida naquele momento, a Ferrari se deu conta que não estava com os quatro pneus prontos quando o piloto já estava em posição para a troca. O mecânico responsável pelo pneu traseiro esquerdo levou, na verdade, um composto duro em vez dos médios programados para o pit-stop. Isso fez Sainz perder nada menos do que 12s na parada.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade