PUBLICIDADE
Logo do Atlético-MG

Atlético-MG

Favoritar Time

Após goleada sofrida, Milito, do Atlético-MG, reclama da arbitragem

O Palmeiras venceu por 4 a 0 o jogo disputado nesta segunda-feira (17) na Arena MRV, com o árbitro Rodrigo José Pereira de Lima sendo o protagonista da derrota do Atlético na nona rodada do Campeonato Brasileiro. Aos 30 minutos do primeiro tempo, o atacante e capitão Hulk, foi expulso. O jogo foi marcado pela […]

18 jun 2024 - 00h18
(atualizado às 09h48)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Esporte News Mundo

O Palmeiras venceu por 4 a 0 o jogo disputado nesta segunda-feira (17) na Arena MRV, com o árbitro Rodrigo José Pereira de Lima sendo o protagonista da derrota do Atlético na nona rodada do Campeonato Brasileiro.

Aos 30 minutos do primeiro tempo, o atacante e capitão Hulk, foi expulso. O jogo foi marcado pela quantidade de cartões. E após o apito final, o camisa 10, Paulinho, foi expulso após cotovelada do lateral direito Marcos Rocha.

O técnico Gabriel Milito, mostrou seu descontentamento com a arbitragem após o jogo. "Só quero dizer que a partida é dos jogadores. Não há liga no mundo que a arbitragem dê tantos cartões, para jogadores e para quem está no banco, como no Brasil. Em nenhum lugar do mundo. Não existe. Isso é o mais preocupante. O protagonismo não tem que ser da arbitragem. As pessoas pagam ingressos para ver as equipes e não os árbitros", salientou Milito.

"Em todos os jogos aconteceram isso. Hoje ele interpretou que eu estava reclamando dele, quando era com um jogador meu. E me deu um amarelo. Numa liga tão forte, cheia de bons jogadores, tem que se rever isso", complementou.

A expulsão de Hulk, foi determinante na partida. Após ela, o Atlético sofreu 3 gols e não criou na partida. Então, foi motivo de lamentação do comandante Milito.

"A equipe jogou e deu tudo o que teria para dar. Logicamente as situações que desenrolaram o jogo foram contra nós e a favor de uma grande equipe que é Palmeiras. Primeiro o gol e depois a expulsão de Hulk. Hoje, num futebol tão profissional e de nível, é muito difícil jogar com um jogador a menos, ainda mais contra uma grande equipe. Ou a gente se jogava para trás e aceitava ou placar ou tentávamos ser valentes. Por isso mudamos no intervalo, com a entrada do Alisson", ressaltou.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade