PUBLICIDADE

Astros do hip hop farão o show do intervalo do Super Bowl

Evento acontecerá em Los Angeles, no próximo dia 13 de fevereiro de 2022; SoFi Stadium viverá dia de bola oval e de tributo ao Hip Hop

30 set 2021 20h45
| atualizado às 20h53
ver comentários
Publicidade

O show de intervalo do Super Bowl 56 já está definido. E vai ser comandado pelo Hip Hop. A NFL confirmou nesta quinta-feira (30) que Dr. Dre, Eminem, Snoop Dogg, Mary J. Blige e Kendrick Lamar estarão juntos no SoFi Stadium, em Los Angeles, no dia 13 de fevereiro do próximo ano. Um conjunto de peso e que já vem movimentando as redes sociais entre os grandes entusiastas e também aqueles que consideram que os nomes estão um tanto quanto deslocados de 'era'.

Seja como for, juntos, os artistas somam simplesmente 43 Grammys, além de 19 álbuns no topo da lista da Billboard. Ou seja, a promessa é de sucesso absoluto e a NFL atraindo a atenção dos jovens em uma região bastante urbana e que receberá os Jogos Olímpicos de 2028.

A história do show de intervalo do Super Bowl

Nas primeiras edições do Super Bowl, as performances durante os intervalos não era muito diferente de um típico jogo colegial. Tradição americana, as bandas marciais de cada faculdade se apresentavam no gramado, e davam show com suas performances acrobáticas e sincronizadas. A partir de 1972, no Super Bowl realizado em Nova Orleans, houve a primeira introdução ao show de intervalo badalado que temos nos dias atuais.

Dr Dre, Eminem, Kendrick Lamar, Snoop Dog e Marry J estarão no comando do show de intervalo do Super Bowl 56, em Los Angeles (Reprodução / NFL)
Dr Dre, Eminem, Kendrick Lamar, Snoop Dog e Marry J estarão no comando do show de intervalo do Super Bowl 56, em Los Angeles (Reprodução / NFL)
Foto: Lance!

A lendária cantora Ella Fitzgerald se juntou a estrelas do cinema como Carol Chenning para promover um tributo ao trompetista e grande estrela do jazz Louis Armstrong, que havia falecido. Em 1976, no Super Bowl 10, os destaques ficaram por conta das performances musicais de produções assinadas pela Disney, dividindo espaço com as tradicionais bandas marciais.

Com o fim dos anos 80, o show do intervalo ganhou um tom clássico. No Super Bowl 32, em 1988, uma produção reuniu 88 pianistas no gramado do estádio localizado em San Diego, na Califórnia. Com a chegada dos anos 90, finalmente as apresentações do intervalo ganharam ares de verdadeiros espetáculos. Em 91, performances como de Whitney Houston marcaram para sempre o evento, mas nada se comparou com o que veio em 1993. No Super Bowl 27, o Rei do Pop, Michael Jackson, subiu ao palco montado no gramado do estádio Rose Bowl, em Pasadena, na Califórnia, para, de uma vez por todas, selar o show do intervalo e a própria final da NFL como o maior evento esportivo do povo americano.

Após Michael, vieram outros grandes nomes da música como James Brown, em 1997; os emblemáticos membros do Kiss, em 1999; U2, que realizou um show marcante, em 2002, ao homenagear às vítimas do atentado terrorista de 11 de setembro; e o espaço a música pop, com Janet Jackson e Justin Timberlake, em 2004; além do Beatle Paul McCartney, em 2005; Os Rolling Stones, um ano depois; e as mais recentes The Weeknd, em 2021; Lady Gaga, em 2017; Katy Perry, em 2015; e Beyonce, em 2013.

Lance!
Publicidade
Publicidade