PUBLICIDADE

Petrobras vai reduzir preços de combustíveis, diz Bolsonaro

Presidente afirmou que queda nos preços começa nesta semana, mas não deu detalhes sobre quais seriam os percentuais de redução

5 dez 2021 16h00
| atualizado às 16h15
ver comentários
Publicidade
Presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia no Palácio do Planalto
24/11/2021
REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia no Palácio do Planalto 24/11/2021 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (5) que a Petrobras começará nesta semana a anunciar "pequenas" reduções no preço dos combustíveis, conforme entrevista ao Poder360.

"A Petrobras começa nesta semana já a anunciar redução no preço do combustível. Essa semana já começa a anunciar", disse o presidente em entrevista ao site.

Bolsonaro, no entanto, não deu informações sobre quais seriam os percentuais de redução, mas explicou que a diminuição deve seguir por algumas semanas. 

"A gente anuncia agora nessa semana pequenas reduções, a princípio toda semana, no preço dos combustíveis... A partir dessa semana agora. Até porque quando o (petróleo) Brent cai isso é coisa automática, não é bola de cristal nem antecipação de informação privilegiada", disse Bolsonaro.

O barril do Brent, referência para a Petrobras, completou a sexta semana consecutiva de baixa na sexta-feira e acumula queda de 19,4% desde as máximas de outubro.

Bolsonaro disse ainda que o governo está fazendo o possível para aumentar a capacidade de refino de petróleo e que, enquanto não houver autonomia na atividade, não é "prudente" estudar mudanças nas regras de paridade do preço da commodity no mercado internacional com os custos locais dos combustíveis.

Na entrevista, o presidente disse ainda não esperar reformas em 2022, considerando que seria um ano de "menor produtividade" por causa das eleições e que "isso é normal".

Guedes

Questionado se manteria o ministro da Economia, Paulo Guedes, em sua equipe em caso de um segundo mandato, Bolsonaro respondeu que vale a vontade do ministro.

"Não tenho nada contra ele. É da vontade dele", disse.

O presidente emendou que nenhum ministro que não tem falado em concorrer nas eleições do ano que vem manifestou interesse em deixar o governo.

*Com informações da equipe do Terra

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade