0

Manual do intercâmbio: 10 dicas para preparar a sua viagem

Além dos gastos com o curso, estudante deve preparar toda a documentação, hospedagem e escolher um destino que atenda às suas expectativas

10 jun 2015
13h46
atualizado às 13h48
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Para evitar maiores gastos e fugir de brasileiros, intercambista deve evitar grandes metrópoles
Para evitar maiores gastos e fugir de brasileiros, intercambista deve evitar grandes metrópoles
Foto: Monkey Business Images / Shutterstock

Mesmo com a alta do dólar, a procura por intercâmbio se mantém forte entre os brasileiros. Em julho, época de férias escolares no País, essa procura aumenta ainda mais.

Siga o Terra Notícias no Twitter

Porém, o estudante interessado deve se preparar com antecedência para fazer um intercâmbio. É necessário planejar os gastos e estudar o idioma do país escolhido para ter um melhor aproveitamento dos cursos.

Além disso, também é preciso resolver, com antecedência, toda a documentação, hospedagem e escolher uma agência de intercâmbio.

Veja dez dicas da IE Intercâmbio para se preparar para fazer um curso no exterior:

Passaporte
Não deixe para tirar o passaporte em cima da hora. O documento tem prazo de seis dias úteis para ficar pronto. Se no decorrer do intercâmbio o estudante perder o passaporte, ele deve procurar a embaixada do Brasil no país em que está. O documento também deve ter validade de no mínimo 6 meses para frente da data que está programada a volta do intercambista.

Visto
A exigência do visto e o tipo variam conforme o país. Por exemplo, Argentina, Chile, África do Sul, Nova Zelândia e Europa dispensam vistos para estadias de até três meses. É necessário já ter o passaporte para solicitar o visto.

Cursos
Escolas de intercâmbio geralmente oferecem cursos regulares de idiomas, cursos de idiomas com atividades, cursos de idiomas com foco profissional,  cursos de especialização, ensino médio (high school), graduação, pós-graduação, trabalho temporário no exterior e voluntariado.

Destino
O destino da viagem deve estar de acordo com os interesses profissionais do estudante. Para economizar, uma dica é evitar grandes metrópoles. Essa é uma alternativa também para evitar o contato com muitos brasileiros, já que a intenção deve ser praticar o idioma estrangeiro e não falar português em outro país.

Hospedagem
As opções de hospedagem mais comuns são casas de família, dormitórios e residências estudantis, apartamentos e hotéis. Em muitos casos, o intercambista pode optar por quarto individual ou compartilhado.

Assistência de viagem e seguro saúde
Uma exigência para todo intercâmbio é de que o estudante tenha cobertura de saúde durante a estada no país escolhido.

Dinheiro
É bom ter algum dinheiro em espécie ao chegar no país escolhido. Cerca de US$ 200 em mãos é uma boa quantia. Para o restante, o mais seguro é levar em cartão pré-pago.

Bagagem
Como não dá para levar tudo, o melhor é encher a mala com roupas versáteis, e evitar aquelas as quais são desconfortáveis ou nunca foram usadas. O estudante deve ter cuidado com o peso da mala para não pagar pela taxa de excesso de peso. Também é importante viajar com uma bagagem de mão. Em caso de extravio da bagagem, é a de mão que o salvará até a mala ser localizada.

Estudo
As escolas de idiomas geralmente fazem um teste no primeiro dia de aula para saber o nível de fluência do estudante. Para obter um resultado satisfatório, é bom estudar diariamente em casa antes de viajar. O aprendizado no exterior é intensificado com aulas diárias.

Agência
A agência de intercâmbio deve auxiliar o estudante a conciliar seus objetivos profissionais e pessoas com os cursos disponíveis. No Brasil, as agências recomendadas são as que possuem sela da Associação Brasileira das Agências de Intercâmbio (Belta). 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade