0

Ibovespa fecha em alta com melhora no cenário externo

12 dez 2018
18h49
  • separator
  • comentários

A bolsa paulista fechou com o Ibovespa em alta nesta quarta-feira, encostando em 88 mil pontos no melhor momento da sessão, com sinais de algum alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China favorecendo o apetite global a risco.

Operador monitora painel de cotações da bolsa paulista. 10/09/2015. REUTERS/Paulo Whitaker.
Operador monitora painel de cotações da bolsa paulista. 10/09/2015. REUTERS/Paulo Whitaker.
Foto: Reuters

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,65 por cento, a 86.977,46 pontos. No melhor momento, avançou 1,77 por cento, a 87.945,65 pontos.

O volume financeiro alcançou 34,097 bilhões de reais, em sessão também marcada pelo vencimento dos contratos de opções sobre o Ibovespa e do índice futuro.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressou otimismo sobre um acordo com a China em entrevista à Reuters, na qual também disse que pode intervir no caso contra uma executiva da chinesa Huawei Technologies se isso ajudar a garantir um acordo comercial com Pequim.

Em Wall Street, o S&P 500 subia mais de 1 por cento no final do pregão, assim como o Dow Jones.

No Brasil, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou o envio de documentos complementares ao processo de revisão do contrato de cessão onerosa entre Petrobras e União, frustrando expectativas de avanço sobre o tema, que vem ocupando a atenção dos investidores.

A bolsa fechou pouco antes da decisão de juros do Banco Central, que confirmou as expectativas e manteve a taxa Selic em 6,5 por cento ao ano.

DESTAQUES

- SABESP subiu 6,29 por cento, entre as maiores alta do Ibovespa, após assinar contrato de prestação de serviços em Guarulhos, segunda maior cidade paulista e que tem uma dívida de cerca de 3 bilhões de reais com a companhia.

- B3 valorizou-se 2,03 por cento, entre as principais contribuições positivas, recuperando-se de forte perda no começo da semana.

- USIMINAS PNA avançou 6,97 por cento, tendo o melhor desempenho entre os papéis que compõem o Ibovespa, enquanto a concorrente CSN subiu 5,19 por cento. A CSN transmitiu uma perspectiva positiva para os resultados de 2019 durante encontro com investidores nesta quarta-feira, conforme relato do analista Marcos Assumpção, do Itaú BBA.

- VALE recuou 0,45 por cento, sendo incapaz de sustentar os ganhos do começo do pregão, quando subiu 1,58 por cento ajudada pelo quadro mais favorável a empresas relacionadas a commodities após sinais benignos sobre o embate comercial EUA-China.

- PETROBRAS PN encerrou com variação positiva de 0,04 por cento, também abandonando a força da primeira etapa do pregão, conforme os preços do petróleo no exterior perderam fôlego e o TCU não trouxe novidades sobre o processo de revisão da cessão onerosa. PETROBRAS ON valorizou-se 0,34 por cento.

- BRMALLS avançou 3,21 por cento, tendo no radar que analistas do Bradesco BBI elevaram a recomendação das ações para "outperform", citando expectativa positiva com a plataforma de comércio eletrônico da empresa. [L1N1YH0H8]

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou em alta de 0,69 por cento e BRADESCO PN encerrou com acréscimo de 0,67 por cento, com o setor bancário como um todo terminando o dia no azul.

- CYRELA caiu 2,49 por cento, com movimentos de realização de lucros, quebrando uma série de cinco pregões consecutivos de valorização, período em que acumulou alta de 8,7 por cento, e após tocar máxima intradia desde maio de 2013, a 15,48 reais, no melhor momento da quarta-feira.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade