PUBLICIDADE

Home office causa queda de cabelo? Médico diz que sim

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia, a relação entre os dois fatores é alarmante

20 ago 2022 - 06h00
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Adobe Stock

Muita gente brinca dizendo que está ficando careca por causa do home office. No entanto, isso está longe de ser uma brincadeira. Segundo o dr. Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia e diretor médico do Instituto do Cabelo de São Paulo, a perda dos cabelos por eflúvio telógeno tem sim ligação com essa modalidade de trabalho.

Antes de mais nada, o que é afinal esse “eflúvio telógeno”? Explicamos: trata-se da queda de cabelo causada por eventos como estresse, pós-parto, cirurgia bariátrica e dietas muito restritivas ou um quadro de anemia, por exemplo. Essa situação é considerada aguda quando tem duração de até seis meses – mas, pode tornar-se crônica se houver a presença de uma doença autoimune ou desnutrição.

Segundo o Instituto do Cabelo, 70% dos pacientes que procuram a empresa mensalmente com queixa de queda anormal dos cabelos estão sofrendo com o eflúvio telógeno – sendo que 80% deles trabalham em home office, conforme apurado pelos médicos da clínica. 

“Nosso universo pesquisado é amplo, porque realizamos mais de 1.500 atendimentos mensais”, alerta o dr. Barsanti.

Diagnóstico e tratamento

É preciso ficar bem atento para a queda anormal de cabelos e não ir atrás de curas milagrosas, alerta o médico.

“É necessário que o paciente passe por uma consulta médica especializada e alguns exames específicos, para identificarmos se a queda tem fundo genético ― alopecia androgenética, que atinge homens e mulheres ― ou é causada pelo eflúvio telógeno. Após a investigação médica e os exames realizados, podemos fechar um diagnóstico e indicar o melhor tratamento”, diz ele.

No caso de a queda ser causada pelo estresse cotidiano, Dr. Barsanti explica que é possível realizar um tratamento não-invasivo e multidisciplinar, de forma a reduzir a queda e promover o nascimento de novos fios. 

“Essa multidisciplinaridade está ligada à adoção de novos hábitos, como a prática da meditação, a realização de técnicas de relaxamento e de atividades físicas, tudo em prol do combate ao estresse”,a visa o dr. Barsanti.

O trabalho remote tem culpa parcial

Muita gente acha erroneamente que quem trabalha em regime home office fica mais relaxado. Na maioria das vezes, porém, acontece exatamente o contrário.

“Pode parecer clichê, mas quem trabalha em home office precisa ter uma agenda que inclua momentos de prática de atividade física, horário para almoço e descanso. Cuidar da qualidade do sono também ajuda a aliviar o estresse – o que favorece o crescimento do cabelo”, explica o médico.

A alimentação bem equilibrada também pode ajudar os pacientes com queda de cabelos. Proteínas de boa qualidade, muita água e vegetais verdes-escuros são benéficos para a saúde capilar.

“Recebemos pacientes que chegam ao consultório apenas quando o quadro se agrava consideravelmente. Se existe uma queda acentuada, é preciso saber o motivo dela”, alerta ele.

Redação Dinheiro em Dia
Compartilhar
Publicidade
Publicidade