0

Goldman eleva projeções para preços do petróleo em 2020 após decisão da Opep

9 dez 2019
10h30
  • separator
  • 0
  • comentários

O Goldman Sachs elevou suas projeções para os preços do petróleo em 2020, citando estoques mais apertados que o esperado após decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados de aprofundar cortes de produção no primeiro trimestre de 2020.

06/12/2019
REUTERS/Leonhard Foeger
06/12/2019 REUTERS/Leonhard Foeger
Foto: Reuters

O banco revisou sua previsão para o preço spot do Brent em 2020 para 63 dólares por barril, de 60 dólares anteriormente, enquanto elevou também as perspectivas para o WTI, para 58,5 dólares por barril, de 55,5 dólares.

Produtores liderados pela Arábia Saudita e pela Rússia concordaram na quinta-feira em cortar a produção em 500 mil barris por dia (bpd) adicionais no primeiro trimestre de 2020, mas não chegaram a prometer ações para depois de março.

A decisão "cristaliza uma importante mudança no comportamento da Opep+, para gerenciar excedentes físicos de curto prazo e déficits ao invés de tentar corrigir desequilíbrios percebidos no longo prazo por meio de compromissos abertos", disse o banco de Wall Street.

O banco também revisou sua projeção de oferta e demanda, refletindo uma menor produção da Opep para o primeiro semestre de 2020.

"Essas revisões nos levaram a projetar um mercado de petróleo bastante equilibrado em 2020, 0,3 milhão de bpd mais apertado que em nossa estimativa anterior".

O Goldman reduziu sua previsão de crescimento da demanda em 50 mil bpd, citando perspectivas de uma recuperação modesta na expansão global, guiada por mais gastos em consumo, mas ainda com desafios para a indústria. O banco prevê agora um crescimento da demanda de 0,9 milhão de bpd e 1,2 milhão de bpd em 2019 e 2020, respectivamente.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade