2 eventos ao vivo

A defesa da reforma na voz do Mickey

Secretário especial da Previdência, Bruno Bianco, usa fama repentina para falar da Previdência

18 mar 2019
04h13
atualizado às 08h25
  • separator
  • comentários

BRASÍLIA - Alçado aos tópicos mais comentados do Twitter no dia da apresentação da reforma da Previdência, o secretário adjunto especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco Leal, converteu sua fama repentina em instrumento de propaganda e defesa da proposta que ajudou a elaborar. Em seu perfil recém-criado na rede social, ele já acumula 11,3 mil seguidores que recebem até "videoaulas" sobre a situação catastrófica das contas da Previdência.

No episódio mais recente, foi Bianco quem saiu em defesa da reforma e desafiou publicamente Ciro Gomes, terceiro colocado nas últimas eleições presidenciais, a provar a veracidade de uma informação divulgada pelo ex-candidato - que acabou desmentida pelo governo. A missão faz parte da estratégia de comunicação do governo para vencer a batalha pela aprovação da proposta no Congresso.

Bianco usa a rede social para defender a reforma.
Bianco usa a rede social para defender a reforma.
Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo

Em 20 de fevereiro deste ano, enquanto integrantes da equipe econômica anunciavam em uma entrevista de mais de quatro horas uma ampla proposta de mudança na vida e na aposentadoria de todos os brasileiros, Bianco virou assunto nas redes devido à sua voz mais aguda. A característica, que ele carrega desde o nascimento, se deve a um hiato nas pregas vocais, que acaba deixando o ar passar em meio às cordas durante a fala.

A pessoas próximas, Bianco demonstrou não ter se importado com o entusiasmo dos internautas, que chegaram a compará-lo a Mickey, personagem da Disney. Pelo contrário, virou o jogo a seu favor e se engajou na tarefa de usar o sucesso nas redes para angariar apoiadores da proposta entre a população e "neutralizar" informações falsas que acabam sendo disseminadas na internet.

Após o episódio, técnicos comentaram nos corredores que Bianco chegou a receber mensagens de apoio de fonoaudiólogos e atribuiu a repercussão ao fato de que as pessoas se identificam quando alguém deixa as inseguranças de lado para encarar um desafio. Falar em público para ele nem chega a ser novidade: graduado e com mestrado em Direito, ele dá aulas há dez anos.

O secretário acabou caindo nas graças também dos agentes do mercado financeiro, que ligam para a sede da Secretaria Especial pedindo nominalmente por uma agenda com Bianco. Na equipe econômica, a expectativa é que ele use a experiência adquirida durante as discussões da reforma do ex-presidente Michel Temer, quando já integrava o governo, para ajudar nas negociações técnicas e evitar os erros anteriores.

Na esteira dessa popularidade, ele participou de um programa humorístico de rádio e já gravou nove vídeos publicados em seu Twitter - os últimos dois bateram recorde de visualizações e contaram com a participação da filha mais velha, Lara, de seis anos. Juntos, os dois fazem massa de modelar enquanto ele explica a situação das finanças do INSS e do regime dos servidores públicos.

Bianco tem 37 anos e é procurador federal da Advocacia-Geral da União (AGU). Partiu dele a iniciativa de acabar com a aposentadoria especial dos políticos (que permite benefícios de até R$ 33,7 mil mensais) e de estabelecer que todos os novos eleitos passassem a contribuir para o INSS, como qualquer brasileiro.

Veja também

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade