PUBLICIDADE

Philip foi retratado mulherengo e machista em ‘The Crown’

Príncipe morto aos 99 anos se tornou famoso por desafiar a monarquia, ser leal à rainha Elizabeth e cometer gafes

9 abr 2021
0comentários
Publicidade

Em cena da primeira temporada de ‘The Crown’, o rei George VI (Jared Harris), pai da futura rainha Elizabeth (Claire Foy), diz a Philip (Matt Smith): “O seu trabalho é amá-la e protegê-la”.

O príncipe Philip, duque de Edimburgo, entre os atores Matt Smith e Tobias Menzies, que o interpretaram em diferentes temporadas de ‘The Crown’
O príncipe Philip, duque de Edimburgo, entre os atores Matt Smith e Tobias Menzies, que o interpretaram em diferentes temporadas de ‘The Crown’
Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV

Ao longo do casamento de 73 anos, o duque de Edimburgo oscilou entre a missão de dar suporte à esposa-monarca e o vício nos prazeres inconfessáveis da vida: festas, jogos, viagens a destinos exóticos, belas plebeias.

Falastrão, cometeu incontáveis deslizes por conta de sua visão estereotipada sobre estrangeiros, outras culturas e a classe trabalhadora. Certa vez, rebateu críticas ao governo feitas por operários desempregados: "Vocês reclamavam por não ter tempo para nada, agora têm".

A morte do príncipe, aos 99 anos, encerra a trajetória de um personagem tão fascinante quanto controverso, retratado sem piedade na aclamada série da Netflix.

Em vários episódios, o marido de Vossa Majestade é retratado como infiel e farrista, egocêntrico e esnobe. No fundo, se ressentia por estar sempre à sombra da poderosa Elizabeth.

O machismo indisfarçável foi ressaltado na quarta temporada. Vivido por Tobias Menzies no início da maturidade, Philip se incomoda com a ascensão de Margaret Thatcher como primeira-ministra do Reino Unido.

“Duas mulheres administrando o negócio, é tudo o que esse País não precisava”, diz, diante da própria Elizabeth. Apaixonada e conformista, a rainha perdoava as falhas e os excessos do marido politicamente incorreto.

Em outro momento da temporada, o príncipe se solidariza com a jovem Diana (Emma Corin), apavorada com a pressão de fazer parte da complexa família real. No fundo, os dois eram ‘estranhos no ninho’ do clã Windsor.

Apesar de nobre de nascença e amante do estilo de vida elitista, Philip desprezava o pedantismo da realeza britânica e recusava ser mero coadjuvante. “A senhora se casou com um espírito selvagem”, afirmou um interlocutor a Elizabeth no início de ‘The Crown’.

À sua maneira, ele foi leal à mulher, a quem apoiou em momentos dramáticos, como na crise de imagem da monarquia suscitada pela morte de Diana, em 1997. Mas Philip Mountbatten nunca aceitou bem o papel que lhe deram na história: o de marido submisso da rainha.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade