PUBLICIDADE

Wavybil aprofunda suas produções em "Cidreira".

20 out 2023 - 20h58
Compartilhar
Exibir comentários

O movimento dos beatmakers em buscar independência nos seus trabalhos solos, com as chamadas 'beat tapes', levou autonomia para diversos produtores ao redor do mundo, e fortaleceu a cultura do público de rap em consumir faixas instrumentais. É seguindo essa ideia que wavybil construiu seu segundo disco, "Cidreira", onde explora beats mais calmos em sonoridades 'terapêuticas'.

Com 8 faixas, Cidreira foi construído com forte influência em The Alchemist e Knxwledge, e chama atenção pela mescla de sons sintéticos com timbres orgânicos. Segundo o produtor, Cidreira nasce em uma época em que ele queria explorar beats mais complexos, tocando os instrumentos e deixando de ser dependente dos samples para criar as batidas.

Foto: AUR

Todo o conceito do disco gira em torno do Spiritual Jazz, subgênero  do Jazz que foca na transcendência e na espiritualidade. As faixas levam nome tanto dos samples usados, quanto das plantas que tem no quintal da casa do produtor, sendo a maioria delas com propriedades medicinais. 

Gabriel Caetano, também conhecido como wavybil é um ilustrador, designer e beatmaker goiano, que ganhou destaque na cena através da sonoridade noventista dos seus beats, em colaborações com os rappers VND, LEALL, Tarcis, Pumapjl e OG Britto, na Covil da Bruxa,  banca que faz parte. Em 2022 lançou seu primeiro álbum instrumental intitulado "Pur Alchimi", onde explora samples de músicas nacionais, como Tincoãs, Maria Bethânia e Cassiano.

Cidreira é um trabalho em memória de Evaristo Caetano.

AUR
Compartilhar
Publicidade
Publicidade