5 eventos ao vivo

"Cantar não é minha paixão", diz Marina Lima no Terra Live Music

19 jul 2012
16h39
atualizado às 17h49
  • separator

A cantora Marina Lima foi a convidada desta quinta-feira (19) do Terra Live Music, apresentado por Lorena Calábria. No primeiro bloco do programa, a cantora falou sobre seu novo disco,

Não me venha mais com amor, por Marina Lima

Clímax

, lançado recentemente.

"Foi um disco feito com calma. Eu estou menos ansiosa", disse a artista, que confessa gostar cada vez menos da urgência de novos lançamentos. Concebido cuidadosamente, o trabalho teve o nome definido bem no início do processo de criação."Quando eu tive tempo pra fazer esse nome, eu senti que queria fazer uma coisa madura, abrangente, sem pressa. Eu estava em busca de um ideal, com tempo pra fazer. Eu busquei uma coisa que tivesse esse sentido de clímax. Esse nome veio no começo, quando eu comecei a pensar no disco", contou.

Segundo Marina, Climax pode ter dois sentidos: a junção de seu sobrenome com seu nome do meio, Correa, e o sentido literal, de ponto alto de sua carreira. A cantora se diz orgulhosa do resultado. "Pra mim, o mais importante é aprimorar o trabalho. Eu tô mais ambiciosa, tenho orgulho dessas canções. Eu procuro a moldura ideal, melhorar, estudar... Eu gosto de perceber uma melhora, e não ser um clone de mim mesma", disse.

A cantora também falou que irá lançar um livro de "considerações, com coisas que a interessam" em novembro, pela Editora Língua Geral. Em seguida, fará um show especial para embalar o lançamento.

Marina também comentou sobre sua parceria musical com Karina Buhr, mostrando admiração pela cantora da Recife. "A Karina escreve muito bem, eu gosto dela. Aí peguei uma canção do Primórdios (disco de Marina que nunca foi lançado), Desencantados. E a gente criou uma música juntas, fiz alguns shows com ela. É uma pessoa diferente, na dela, na óbvia. É uma joia bruta, que tem que ter cuidado", elogiou.Ao fim de sua apresentação, Marina confessou à apresentadora Lorena Calábria que não sente mais tanto prazer em cantar. "Eu acho que cantar hoje em dia não é mais minha paixão. Hoje em dia aparece que a força vocal é o mais importante. Eu canto porque sou afinada e tenho voz, mas não tenho pretensão de cantar num trio elétrico (risos). Me considero intérprete de uma núsica que acho importante ter no brasil", concluiu.

Fonte: Terra
publicidade