PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Prefeitura de SP cancela show de Roberto Carlos no Pacaembu; cantor e Allegra garantem apresentação

Apresentação estava prevista para ocorrer na noite desta sexta-feira, 19, em nova casa de show dentro do estádio. Laudo dos Bombeiros atestou irregularidades. Concessionária que administra a Arena Pacaembu, a Allegra, ainda não cancelou oficialmente

23 abr 2024 - 09h42
Compartilhar
Exibir comentários

A apresentação do Roberto Carlos marcada para a noite desta sexta-feira, 19, dia em que o cantor completa 83 anos, foi cancelada pela Prefeitura de São Paulo. A decisão oficial foi comunicada por volta das 16h30. O show marcaria a inauguração do Mercado Pago Hall, centro de eventos que fica dentro da Arena Pacaembu, no segundo subsolo. A casa será administrada pela Allegra Pacaembu, concessionária que detém a exploração do local por 35 anos, que ainda não cancelou oficialmente o show nem informou o público sobre o reembolso dos ingressos. Quem comprou o ingresso, aliás, recebeu um e-mail por volta de 16h38 dizendo que a apresentação estava confirmada.

De acordo com a nota enviada à imprensa, o motivo foi a falta de segurança no local.

Leia trecho da nota

"Após vistoria e análise de documentação nesta sexta-feira (19) que apontou uma série de irregularidades que colocam a segurança do público em risco, a Prefeitura não autorizou a realização do show do cantor Roberto Carlos, programado para esta noite, na Arena Pacaembu.

A decisão foi tomada após a comprovação de falta de itens indispensáveis para a segurança durante vistoria conjunta dos Bombeiros e Contru, órgão municipal que atesta justamente a segurança de edificações. Representantes da empresa responsável pela concessão do Pacaembu também acompanharam os testes em que foi constatado não haver condições para a realização do evento.

Há irregularidades como falta de saídas de emergência obstruídas e não concluídas; sinalização de rotas de fuga inexistente; escadas pressurizadas inoperantes; portas das saídas de emergência sem barras antipânico; sistema de detecção de incêndio inoperante. No laudo, o Corpo de Bombeiros afirma ainda que nem "sequer foi apresentado Projeto Técnico para Ocupação Temporária em Edificação Permanente (PTOTEP), contendo as devidas medidas de segurança contra incêndio, destarte em total desconformidade com o contido no artigo 27 do Regulamento de Segurança contra Incêndio das Edificações e Áreas de Risco no Estado de São Paulo".

Imbróglio

Parte dessa nota havia sido publicada pela Prefeitura de São Paulo publicou em seu site, confirmando que a apresentação seria cancelada. No entanto, em seguida, o texto foi retirado do ar.

Por volta das 16h, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura disse ao Estadão que ainda apurava o caso e que não tinha um posicionamento oficial se o show iria ocorrer ou não. Por outro lado, as assessorias de Roberto Carlos e da Allegra Pacaembu garantiam que a apresentação ocorreria normalmente.

Antes disso, na quinta-feira, 18, o Corpo de Bombeiros de São Paulo, enviou à Secretaria de Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), o pedido de cancelamento do show do cantor Roberto Carlos por falta de segurança no local.

Segundo o laudo dos Bombeiros assinado pelo Coronel Comandante Alexandre Merlin, o espaço ainda segue em obras e apresenta, de acordo com inspeção feita pelo órgão, 18 irregularidades, entre elas, rotas de fuga obstruídas, hidrantes despressurizados, falta de instalação de sistema central de alarme de incêndio e chuveiros anti-incêndio e portas contra fogo ainda em fase de instalação. A Allegra, ainda de acordo com os Bombeiros, não teria solicitado a vistoria dentro do prazo exigido por lei.

O documento ainda alerta a SMUL de que o evento não tem licença do Corpo de Bombeiros para ocorrer. "Caso o evento ocorra, será em total revelia ao Corpo de Bombeiros", diz o texto. Ainda segundo o órgão, o espaço foi advertido nesta quinta-feira, 18, mesmo dia em que a SMUL recebeu o pedido de cancelamento.

A assessoria de imprensa da SMUL não soube informar à reportagem do Estadão por qual trâmite o documento do Corpo de Bombeiros seguiria dentro do órgão para que uma decisão pudesse ser tomada. O espaço segue aberto.

Em nota enviada ao Estadão no início da tarde desta sexta-feira, a assessoria de imprensa da Allegra Pacaembu afirmou possuir a autorização emitida pela Prefeitura de São Paulo para abrir o espaço. Disse ainda que o evento atenderia "todas as normas vigentes na cidade e oferecerá as condições de conforto e segurança necessárias para uma experiência de alta qualidade".

A respeito do ofício do Corpo de Bombeiros, a concessionária afirma que dará todas as respostas necessárias à corporação, "demonstrando que cumpre a legislação para um evento temporário".

Essa última informação, sobre um "evento temporário", corrobora com uma postagem feita pelo perfil da Arena Pacaembu nesta quinta-feira, 18, que traz imagens de obras e últimos ajustes. "Um verdadeiro spoiler do que o futuro reserva para este espaço tão amado e icônico da cidade de São Paulo", diz o texto.

O centro de convenções onde a apresentação de Roberto Carlos está prevista para ocorrer foi projetado para receber até 8,5 mil pessoas. Entretanto, nesse show do cantor, deve receber um público do pouco menos de 3 mil pessoas. Os ingressos custavam até R$ 1.350.

A inauguração da Arena Pacaembu estava prevista inicialmente para o dia 25 de janeiro, aniversário da cidade de São Paulo, porém foi adiada. O show de Roberto Carlos marca a primeira etapa da reabertura do Complexo do Pacaembu que passou por reformas desde que foi concedido à Allegra.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade